Gravado a 80 metros de profundidade, nas entranhas das Grutas de Mira de Aire, o novo videoclipe da banda portuguesa Moonspell é inspirado pelo «grande surto» de freiras grávidas que ocorreu durante o século XVIII na Europa e também em Portugal. Uma história de amor proibido, nas palavras de Fernardo Ribeiro, não fosse o facto de muitas delas engravidarem de homens ligados ao clero e à aristocracia local, quebrando assim os votos de castidade. Common Prayers (que traduzido significa “orações comuns”) é o segundo single de Hermitage, o 13.º disco da banda, que já conta com quase três décadas de história.

O disco que tem edição marcada para 26 de fevereiro de 2021 aborda temas como «ermitas, solidão» e «o que se passa debaixo do solo». Tendo por base aquela que é essência do álbum e após uma visita casual àquela que é uma das 7 Maravilhas Naturais de Portugal, Fernardo Ribeiro, vocalista da banda de heavy metal não teve dúvidas de que as Grutas seriam o local «perfeito» para dar vida ao tema. «Juntei dois mais dois e achei que seria um sítio bastante diferente, original e que curiosamente tinha muito a ver com o que estávamos a escrever», recorda.

Da ambição à concretização do projeto passaram apenas dois meses. A rapidez no processo, admite, deveu-se, principalmente, a Nuno Jorge, funcionário das Grutas que considera ter sido «um grande facilitador» de toda a logística, mas também à recetividade demonstrada pela adminstração do espaço. «Receberam o projeto de braços abertos. Tudo se fez com a maior das boas vontades de parte a parte. Fomos extremamente bem acolhidos», sublinha. «Nós já corremos bastante mundo onde gravámos videoclipes e isto foi das melhores experiências a nível de hospitalidade», acrescenta. A relação entre a banda e as Grutas de Mira de Aire foi de tal forma positiva que os Moonspell realizaram ainda a sessão oficial de fotografias na «catedral subterrânea». Além disso, Fernando Ribeiro confessa também o desejo de poder vir a fazer aí um concerto: «Será um grande desafio a nível de som e eletricidade mas eu gostaria que este disco também ficasse ligado às Grutas».

Com a consciência de que iriam trabalhar num sítio, considerado património e paisagem protegida, os Moonspell decidiram levar uma «equipa pequena» e cumprir com «todas as regras» que lhes foram impostas. «Íamos muito bem preparados para tentar não fazer algo que fosse exaustivo. Tivemos todos os cuidados e foi um trabalho que correu muito bem», relata. Sob um ambiente «imponente», a gravação do videoclipe aconteceu em apenas um dia, 26 de outubro e as Grutas conseguiram intercalar as visitas com as gravações, fechando apenas por pequenos períodos de tempo. Quem as decidiu visitar nesse dia, recebeu «um bónus». «Houve poucas pessoas mas algumas reconheceram-nos e até tiraram fotografias connosco», afirma.

«Eu acho que o videoclipe está espetacular. Para além da banda e da protagonista, Aurora Pinho, há aqui outro protagonista que é, sem dúvida, o ambiente das Grutas», ressalva Fernando Ribeiro. Desde o dia 10 de dezembro, altura em que foi divulgado oficialmente, Common Prayers já conta com mais de 100 mil visualizações e as reações dos fãs não se têm feito esperar. «Há muita gente a dizer que o local é magnífico e que foi muito bem escolhido», refere.

Grutas de Mira de Aire: uma incubadora de projetos

Descobertas em 1947, as maiores grutas de Portugal, as de Mira de Aire, não só têm sido visitadas por milhares de pessoas como também têm servido para outros fins. Ao longo dos anos, artistas, marcas e realizadores têm solicitado as Grutas com o objetivo de poderem fazer uso do seu cenário. Quem recorda alguns desses episódios é Carlos Alberto Jorge, presidente do conselho de administração que partindo da mais recente, a gravação do videoclipe dos Moonspell, garante já terem existido «diversas experiências do género». «Há uns anos largos, quando as Doce ganharam o Festival da Canção em Portugal, com o tema Ali Babá, vieram aqui gravar o videoclipe. Tinha a ver com o reino de Ali Babá e escolheram as Grutas para isso», recorda. Ainda durante a década de 80, foram feitas filmagens para a televisão francesa do Conde de Monte Cristo, um romance de aventura, escrito por Alexandre Dumas. Em 2019, recorda, as Grutas de Mira de Aire serviram de pano de fundo para um anúncio francês da marca de supermercados E.leclerc.

Também nesta matéria, a pandemia veio trazer alguns dissabores com a suspensão ou cancelamento de projetos que passavam pelas Grutas. São exemplo disso, as filmagens de um filme de uma cadeia americana que por esta altura «muito provavelmente» já teriam sido feitas. Simbad é o nome do filme que retrata a vida de um marinheiro que após um naufrágio se refugia numa gruta e as imagens seriam das Grutas de Mira de Aire. «Também tínhamos mais ou menos agendada uma sessão de fotografias para a ModaLisboa mas acabou por ficar tudo cancelado», desabafa Carlos Alberto Jorge.

Um dia antes da gravação do videoclipe dos Moonspell, aquelas que já foram reconhecidas como sendo umas das 20 Grutas mais bonitas do mundo, serviram de palco para a recolha de imagens para o filme português O Legado. «Tem a ver com os templários e é filmado nas ilhas e na região Centro», conta. No passado dia 10, as Grutas voltaram a ser solicitadas para a gravação de um videoclipe do artista Kinny.