A moradia que vê na fotografia, denominada Tojal House, está nomeada para o Prémio Internacional de Arquitetura na categoria Houses, promovido pela plataforma Archdaily e está localizada no concelho de Porto de Mós, mais precisamente no Tojal. Joel Simões foi um dos arquitetos que desenhou esta obra e um dos sócios da Contaminar Arquitetos, com sede em Leiria, responsável pelo projeto. O arquiteto explicou a O Portomosense o processo, desde a escolha do local à conceção deste projeto: «Os clientes são desta região, um dos proprietários é mesmo do Tojal e tinha o terreno onde foi construída a casa, um terreno de família. Eles identificavam-se muito com o terreno, num sítio calmo e com exposição solar», conta. Escolhido o local, os proprietários começam a idealizar o projeto. «Os clientes identificaram-se com o nosso portefólio e idealizaram o que queriam e nós projetámos», explica Joel Simões.

Que casa é esta? «É uma ideia um bocado forte, um monolítico de betão que nos cria alguma privacidade nalgumas zonas, noutras tem um olhar um bocadinho mais liberto, mais desafogado, com exposição solar. Relativamente à zona onde passam carros, está mais fechada. É encarada como uma espécie de open space, prática e não muito sinuosa. É uma casa térrea como o cliente queria», esclarece o arquiteto. Este tipo de construções está cada vez mais a ser procurado, embora Joel Simões saliente que apesar de se dizer «contemporâneo e moderno», este tipo de construções «já tem cerca de 100 anos, surgindo depois da Primeira Guerra Mundial», mas acabou por voltar. «Ultimamente há uma identificação de parte da sociedade com este tipo de moradias ditas mais contemporâneas, se calhar para marcar também o estilo de cada geração», frisa.

Estar na plataforma Archdaily, «uma das duas ou três grandes plataformas de arquitetura a nível mundial» é por si só uma conquista. Só podia ser nomeado para estes prémios quem já tivesse projetos a editar nesta plataforma: «Os trabalhos para serem editados nesta plataforma, são previamente selecionados, é uma escolha muito criteriosa. É sempre através de um grupo editorial que se escolhem as obras a publicar durante aquele ano. Nós enviamos os trabalhos para esse grupo, que é depois escrutinado para ver se tem qualidade ou não para ser editado ali», explica Joel Simões. No próximo dia 10 são revelados os cinco finalistas de cada categoria e no dia 18 os vencedores finais. Quem quiser votar nesta moradia pode fazer o registo na página da www.archdaily.com e depois escolher a categoria Houses e selecionar a casa em questão.