Noa, de 13 meses e que desde os cinco lutava contra uma atrofia muscular espinal tipo 1 faleceu esta quarta-feira. A bebé, cujo os pais residiam em Mira de Aire, encontrava-se de momento internada no Centro Hospital Universitário de Coimbra, onde estava a ser acompanhada desde o seu diagnóstico. Vários tinham sido os apelos dos pais de Noa, através das redes sociais para conseguir donativos para custear todos os tratamentos necessários. A bebé estava prestes a receber «o medicamento mais caro do mundo», o zolgensma, autorizado pelo Infarmed, o mesmo que foi ministrado a Matilde e Natália, duas bebés com a mesma doença.

Os pais de Matilde, tinham oferecido, recentemente, aos pais de Noa 156 sessões de fisioterapia e terapia da fala, o que correspondia a um ano inteiro de tratamentos.