Reabilitar, preservar e travar os «elevados consumos energéticos» no Mosteiro da Batalha são alguns dos objetivos das intervenções previstas no valor de 1.610.400,00 euros que vão ser canalizados para o monumento até ao final de 2025.

O Município vai colaborar com o Governo na execução das verbas do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) afetas a intervenções no Mosteiro da Batalha, «como forma de otimizar as verbas afetas à reabilitação de edifícios públicos classificados», refere a Câmara em comunicado. À autarquia caberá o processo de contratação das empreitadas, fiscalização do projeto e afetação de recursos técnicos para apoio ao projeto.

A participação do Município resulta de um contrato interadministrativo de cooperação com a Direção-Geral do Património Cultural (DGPC), aprovado por unanimidade pelo executivo. «Esta cooperação é essencial para que os projetos possam avançar e ser realizados nos prazos muito curtos previstos no PRR, bem assim reconhece a confiança e boa capacidade de execução do Município, que numa relação de proximidade com os diferentes governos, é hoje um exemplo nacional de eficácia no processo de descentralização de competências, em diversas áreas como a educação, a saúde e agora também iremos colaborar com a cultura», refere o presidente do Município, Paulo Batista Santos.
As intervenções previstas, mas ainda a ser alvo de estudo, inscrevem-se na reabilitação e preservação do Mosteiro da Batalha, monumento nacional, que integra a Lista do Património da Humanidade definida pela UNESCO.