Orquídeas foram a planta de destaque na feira (foto: Isidro Bento)

Decorreu nos passados dias 4 e 5, em Porto de Mós, mais uma edição da Feira das Sementes e Plantas de Porto de Mós, tendo como principal elemento as orquídeas.

Com a presença de quase duas dezenas de expositores, o certame decorreu no espaço dedicado às tasquinhas, no recinto das festas de São Pedro.

A presença da Associação Portuguesa de Orquidofilia (APO), que ali esteve pela primeira vez, atraiu mais público, assim como diversas exposições tanto de orquídeas como de outras plantas. Segundo apurámos, quer a Associação de Orquidofilia quer a organização do certame ficaram satisfeitas com a participação do público que, se manifestou interessado nas demonstrações efetuadas.

Prova disso, foi a presença de meia centena de pessoas nos workshops promovidos pela APO, acontecendo o mesmo nos restantes relacionados com aromáticas em casa e poda de formação, em que estiveram 25 participantes em cada uma.
Segundo a organização da feira, que se realiza pelo segundo ano consecutivo, a mudança de local, duma tenda no parque Vitor Trigueiros Crespo para o recinto das festas de São Pedro, um espaço maior, contribuiu para uma maior presença de público, dando também melhores condições aos expositores. Também a forte aposta em workshops contribuiu para uma maior procura, assim como o tema proposto.

Sobre a APO

A Associação Portuguesa de Orquidofilia existe desde 2007 e é constituída por um grupo de pessoas que respeitam e gostam da natureza, mas elegem as orquídeas como uma flor preferida, porque entenderam as suas «estranhas e díspares formas, sinuosos volumes, bizarras cores e estranhos aromas».

Esta associação tem como objetivos principais fomentar a divulgação, o conhecimento e o interesse pelas orquídeas, nas suas mais variadas espécies, divulgar o cultivo correto desta família de plantas, zelar pela manutenção e expansão da comunidade orquidófila, implementar atividades sócio-culturais de forma a tornar a APO mais dinâmica, promovendo exposições, palestras, workshops, edições regulares e informações online, proteger e cuidar da conservação das orquídeas, quer no seu habitat natural, quer na manutenção e inventariação de coleções raras públicas e privadas, além de estabelecer protocolos e parcerias no sentido de preservar locais com referência histórico-culturais.