A Câmara Municipal de Porto de Mós aprovou, no início da semana passada, aquele que é considerado «um dos maiores orçamentos municipais do concelho de Porto de Mós», para o ano de 2021, num «total de 22 721 639 euros», segundo consta de uma nota de imprensa do Município. A aprovação contou com os votos contra do Partido Socialista (PS) e a abstenção da vereadora do movimento independente AJSIM, Sofia Caetano.

Tendo em conta as características atuais provocadas pela pandemia da COVID-19 e antevendo algumas dificuldades que possam surgir junto da população portomosense, o orçamento para 2021 é focado nas «pessoas e empresas» e por isso, foi feito «o maior investimento de sempre em apoio social e desenvolvimento económico» no concelho. «Só no reforço das rubricas da ação social, este orçamento prevê um aumento na ordem dos 76,79% em relação ao ano de 2020. Trata-se de um investimento previsto para 2021 na ordem dos 1 698 500 euros, o que contrasta bem com os 1 381 800 euros de 2020», lê-se no mesmo documento.

Além de estarem previstos apoios diretos às famílias, outro dos focos do orçamento para o próximo ano é o desenvolvimento económico. «O Município prevê investir em 2021 cerca de 2 291 300 euros, representando um aumento de 234,06% em relação ao ano presente», refere a nota de imprensa. Ao «avultado investimento» que se destina a «todas as empresas» que apesar do contexto de incerteza, desejam «criar e aumentar postos de trabalho» no concelho, estão ainda as isenções na Derrama, entretanto já aprovadas e que servem para «apoiar ainda mais» as empresas concelhias. Destaque ainda para o arranque da Área de Localização Empresarial de Porto de Mós que se prevê que tenha início no próximo ano.

O orçamento para 2021 de quase 23 milhões de euros do Município de Porto de Mós faz ainda referência à conclusão do abastecimento de água no concelho, que segundo consta da nota de imprensa, irá «garantir num único mandato o fornecimento de água ao total dos lugares em falta na freguesia de São Bento» e ainda com um «investimento estimado de 1 650 000 euros» para o próximo ano, «mais dois milhões» para 2022, prevê-se «o início do saneamento nos lugares de Cumeira, Albergaria, Cruz da Légua e Moitalina».