O Município de Porto de Mós, depois de aprovar em reunião de Câmara extraordinária, a 18 de abril, a Prestação de Contas de 2021, informa em nota de imprensa que «conseguiu executar o melhor resultado de sempre da autarquia, no que às obras diz respeito, com um montante total investido» de mais de 8,6 milhões de euros. Para isso contribuíram investimentos como «a requalificação da Central Termoelétrica (1 954 099,94€), a conclusão do abastecimento de água a São Bento (303 574,10€), a substituição da cobertura em fibrocimento (amianto) da Escola Secundária de Porto de Mós (282 535,06€), a requalificação da antiga cantina de Porto de Mós e a adaptação para Incubadora de Empresas (256 347,47€), a requalificação da Extensão de Saúde de Pedreiras (170 803,01€), a requalificação do posto de Turismo de Porto de Mós (153 969,10€), a requalificação do Mercado de Mira de Aire (138 014,14€), a recuperação da Fonte do Castelo e sua envolvente (134 776,55€), bem como a construção do Miradouro em Chão das Pias (94 664,43€). Para além destes destaques, executaram-se diversas obras de substituição de condutas de água nas freguesias do Juncal e Calvaria de Cima», refere a mesma nota.

O «resultado líquido do exercício» foi «superior a 1,6 milhões de euros» e o «saldo de gerência superior a 3,3 milhões de euros». A execução da receita foi de 97,2% e a da despesa, de 84,78%.

De acordo com a Câmara Municipal, «os níveis de execução das despesas correntes sofreram um ligeiro aumento, influenciado na sua maioria pelo reforço no apoio às Instituições Particulares de Solidariedade Social, às famílias carenciadas, à natalidade, bem como na ação social escolar, nomeadamente, nas refeições e transportes para os alunos», naquela que pretende ser «uma estratégia contínua de reforço nas funções sociais muito afetadas pelo contexto nacional e internacional».