O objetivo do Município de Porto de Mós é claro: preparar em segurança o ato eleitoral do próximo dia 30 de janeiro para que todos, sem exceção, sintam «tranquilidade e confiança» para exercer o seu direito cívico de voto. Para isso, decidiu implementar uma série de medidas, que vão desde a «identificação dos elementos das mesas a fim de usufruírem da prioridade da dose de reforço da vacinação», até à «testagem de todos os elementos que compõem as mesas de votos e os elementos que estão ao serviço das eleições».

A testagem vai decorrer quer no dia 22 (véspera do voto antecipado em mobilidade), quer no dia 29 (véspera de eleições). Além destas medidas, em ambos os atos eleitorais, será ainda disponibilizado álcool gel em todas as mesas e cabines de voto, serão identificados circuitos de entrada e saída e higienizados os espaços e cabines de voto com frequência.

Os eleitores que desejem exercer o seu direito de voto antecipadamente têm no máximo até esta quinta-feira, 20 de janeiro, para fazerem esse pedido. Depois, devem apresentar-se no dia 23 (próximo domingo) na mesa de voto em mobilidade que escolheram. Nesse dia, ser-lhes-á entregue um boletim de voto e dois envelopes (um branco e outro azul). «Contrariamente ao que aconteceu nas eleições presidenciais, em que só criámos uma mesa de voto antecipado em mobilidade, desta vez criámos quatro», revela o presidente da Câmara, Jorge Vala.

Assim, os locais de voto no dia 23 de janeiro no concelho Porto de Mós estarão disponíveis no Juncal (sede da Junta de Freguesia); na Mendiga (extensão de saúde); em Mira de Aire (Casa da Cultura) e em Porto de Mós (Centro Escolar).

No caso dos eleitores que estejam em confinamento obrigatório e aqueles que estejam internados em estruturas residenciais (lares) e instituições têm que fazer o pedido entre 20 e 23 de janeiro. O voto será depois recolhido no domicílio nos dias 25 e 26 de janeiro.

A 30 da janeiro, dia de eleições, «não vai haver alteração nenhuma» porque, segundo o autarca, tanto as mesas como os locais de voto serão «exatamente os mesmos» de anos anteriores.

No total, estarão envolvidas nas eleições aproximadamente 300 pessoas, 175 das quais estarão distribuídas pelas 35 mesas de voto.