Passado quase um ano desde o lançamento do Cartão 360 Porto de Mós, apenas 385 cidadãos do concelho solicitaram o seu envio. Apesar das várias vantagens que esta ferramenta gratuita oferece aos seus utilizadores, entre as quais descontos em produtos e serviços nos estabelecimentos aderentes e a possibilidade de fazer compras online de uma forma «rápida e simples», a verdade é que o número de pessoas que pediram para aderir ao cartão ainda está muito aquém do esperado.

A perspetiva era que, por esta altura, já houvesse um uso mais abrangente do cartão, que é ao mesmo tempo uma aplicação móvel (app 360 CITY), mas o «agravar da pandemia» aliado ao Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados (RGPD) acabou por trocar as voltas ao Município de Porto de Mós e atrasar todo o processo de implementação. «Inicialmente prevíamos enviar os cartões, para todas as pessoas do concelho de Porto de Mós mas fomos confrontados com essa impossibilidade por causa do RGPD. As pessoas têm que autorizar para poderem receber o cartão e nós não quisemos ferir essas suscetibilidades», justifica o presidente da Câmara, Jorge Vala.

O autarca reconhece que a implementação do Cartão 360 Porto de Mós ainda está «em curso» mas acredita que a partir deste mês, com o envio de um ofício, junto com a carta da água, se venha a assistir a uma «procura substancial» do cartão. É nesse texto, que será enviado quer online, quer pelo correio, onde estará uma «breve explicação sobre a plataforma, a indicação de como fazer a adesão e também um pequeno resumo dos benefícios associados ao cartão», explica. Além disso, está disponível desde o passado dia 1 no Cineteatro de Porto de Mós «um showroom explicativo para empresas, comerciantes e cidadãos sobre as modalidades de adesão» do cartão, segundo adiantou o vereador Marco Lopes. O cartão é gratuito e a aplicação pode ser descarregada na Play Store ou na App Store, conforme o sistema operativo de cada telemóvel. «A massificação junto da comunidade do concelho será feita agora e estamos em crer que haverá uma quantidade muito significativa de cidadãos que irão aderir à plataforma», antecipa Jorge Vala, esperando que no futuro esta se possa tornar num «importante meio de negócio» no concelho.

Na plataforma estão, até à data, inscritas 116 empresas de comércio e serviços, entre lojas do comércio local, restaurantes, alojamentos e operadores económicos que têm a «obrigatoriedade» de oferecer descontos aos utilizadores do cartão. Quem desejar aderir ao cartão pode fazê-lo diretamente na página gp.municipio-portodemos.pt através do preenchimento de um formulário e a única condição é que seja residente no concelho. No fim, o cartão ser-lhe-á enviado pelo correio e depois basta apresentá-lo nos estabelecimentos aderentes para beneficiar das vantagens associadas ao comércio e serviços, assim como, em serviços municipalizados.