Foi divulgada ontem a lista que coloca os Muros de Pedra Seca, que concorrem na categoria “Artefactos” às 7 Maravilhas da Cultura Popular, entre os 21 patrimónios locais mais votados a nível distrital, sendo agora o único representante do concelho. Recorde-se que numa fase inicial do concurso, o concelho tinha 14 nomeados a votação, depois de todas as candidaturas terem sido aceites e submetidas a concurso. Agora, foram escolhidos apenas sete patrimónios de cada região, selecionados por um painel de especialistas composto por sete elementos de cada um dos 18 distritos de das duas regiões autónomas.

Na candidatura feita pelo Município, os Muros de Pedra Seca, presentes nas zonas serranas do concelho, são considerados «mais do que uma obra humana», revelando «a capacidade dos serranos na construção duma paisagem harmoniosa e rica em biodiversidade». A autarquia frisa ainda que a necessidade foi o combustível para o engenho: «Antes de domesticarem a serra agreste as gentes tiveram primeiro de aprender a viver com a pedra. Como se arruma uma pedra ao alto ou de lado? A terra de cultivo era escassa ou inexistente e semeada de pedregulhos. Em todo lado sobressaia a ossada calcária. Foi preciso, a poder de sangue, dos homens e dos animais domésticos, libertar a terra removendo as lajes em gerações sucessivas que sabiam, como muitos sabem ainda, por onde parte a rocha quando sobre ela caiem os olhos experimentados dos serranos».

O total de 140 finalistas agora eleitos, nos 18 distritos e 2 regiões autónomas vão participar «nas respetivas eliminatórias regionais, em antena a partir do dia 6 de Julho na RTP1 e RTP Internacional», explica a organização em comunicado. Estas eliminatórias correspondem a 20 programas em direto, que se vão realizar «a partir dos municípios mais pequenos que estiverem a concurso» e onde vão ser apurados 20 vencedores, uma eleição feita pelo público através do voto.