Início » Nova estratégia para Resíduos Sólidos Urbanos em discussão pública

Nova estratégia para Resíduos Sólidos Urbanos em discussão pública

24 Janeiro 2024
Bruno Fidalgo Sousa

Texto

Partilhar

Bruno Fidalgo Sousa

24 Jan, 2024

O Plano de Ação do Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos esteve em cima da mesa na última reunião camarária pública, com a aprovação da sua fase de discussão pública. O recente documentado foi orquestrado pela Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL), feito «em conjunto, embora individualizado» para cada um dos 10 municípios integrantes. «Aquilo que nós temos aqui é efetivamente um plano estratégico para fazer investimentos com o objetivo de atingir metas», explica Jorge Vala, «uma estratégia até 2030 para acomodar legislação».

Num ano em que se inicia a recolha de biorresíduos no concelho, com a chegada dos novos contentores castanhos, Jorge Vala aproveitou para referenciar alguns dados interessantes sobre a recolha de resíduos: Porto de Mós valorizou 2 105 toneladas de resíduos através da compostagem no ano de 2022 (últimos dados disponíveis), valor que o executivo municipal diz ajudar a «reduzir a tarifa de gestão de resíduos, que tem vindo a aumentar», e que vai ao encontro das obrigações, até 2030, «de reduzir significativamente o depósito em aterro do lixo (orgânico)». Ainda em 2022, foram recolhidas 9 294 toneladas de resíduos urbanos e, destas, 8 136 toneladas foram recolhidos indiferenciados.

O Plano de Ação do Plano Estratégico de Resíduos Sólidos Urbanos vai entrar em fase de discussão pública durante 30 dias, antes de voltar a reunião camarária e porventura sob novas críticas da oposição. O vereador Rui Marto frisa que falta «uma série de coisas», lamentando que os contentores de biorresíduos sejam escassos, e questiona se «é desta que a CIMRL se une, faz o trabalho que tem a fazer e começa a sensibilizar as pessoas para a necessidade de baixar a produção e não para a necessidade de se aumentar os preços a quem cumpre» – referenciando o aumento da tarifa de gestão de resíduos, que diz ter aumentado 15% em Porto de Mós. «Não vejo aqui grandes metas a atingir, gostava de ver claramente outro tipo de referências às produções. Até porque quem conhece a política dos 3 R’s, a primeira é reduzir», concluiu.

Foto | Bruno Fidalgo Sousa

Publicidade

Este espaço pode ser seu.
Publicidade 300px*600px
Half-Page

Primeira Página

Em Destaque