Olga Silvestre diz que o trabalho vai ser a continuação do anterior.

Olga Silvestre é, desde o passado dia 19, a nova presidente da comissão política concelhia do PSD. A equipa, que foi eleita por unanimidade, é também composta por Pedro Vala, no lugar de vice-presidente; Cristiana Rosário como secretária; e José Santiago tem a seu cargo a tesouraria; além destes, integram ainda a nova comissão, António José Ferreira, José Carlos Miguel, Félix dos Reis, Avelino Roque, Ana Santo, Rafaela Morais, Romeu Pereira e Nuno Santana. Já o anterior presidente da concelhia, Gabriel Vala, foi eleito para presidir a mesa do plenário, tendo como vice-presidente Susana Sousa.

Em declarações a O Portomosense, Olga Silvestre explicou que o «plano de atividades continua na linha do anteriormente desenvolvido», no entanto, uma vez que agora as circunstâncias são diferentes uma vez que é este o partido que lidera a Câmara, «este é o tempo de reforçar o PSD a nível local e reavivar a matriz social-democrata do nosso concelho que esteve adormecida de 2005 a 2017». A nova presidente adiantou também alguns dos objetivos, estando entre eles o reforço da militância,«ouvindo os eleitores, percebendo as suas necessidades, direcionando-as a quem de direito e propondo soluções»; assim como a realização de «visitas periódicas junto da comunidade e suas instituições». Quer, ainda, «reforçar o papel do PSD de Porto de Mós dentro e fora do concelho, recolocando-o no lugar que já lhe pertenceu» e «realizar atividades que envolvam a comunidade concelhia e, se possível, com projeção além do concelho».

A dirigente partidária revelou ainda que tem «uma enorme esperança que se crie uma onda positiva» que permita realizar aquilo a que se propõem, enquanto equipa. «Sendo realista, acredito que faremos do PSD um partido aberto à comunidade e ao seu serviço, para defender os valores da igualdade, da solidariedade, da justiça e coesão social. O PSD será aquilo que fizermos dele, seguramente um grande partido, forte, coeso e unido em prol de um objetivo único comum, melhorar a vida dos nossos cidadãos», promete.

A primeira reação

Questionada sobre o seu sentimento relativamente a esta eleição, a social-democrata escolheu três palavras: «Gratidão», aos votantes e à equipa que a acompanhou; «responsabilidade, pois avizinham-se tempos de grande relevância para o país e para o partido» e [Olga Silvestre] quer dar o seu contributo; e, por fim, «orgulho» por ser a primeira eleita desde que o PSD recuperou a Câmara e a Assembleia Municipal, dizendo mesmo que é um «privilégio, depois de dobrado o Cabo da Boa Esperança, poder continuar o caminho, reforçando o alcançado em 2017, agora com uma posição bem mais confortável».