O padre António Cardoso está de regresso às paróquias do Juncal e das Pedreiras, depois de ter sofrido um acidente automóvel e de ter ficado afastado cerca de dois meses e meio da comunidade paroquial. O pároco foi recebido num almoço de boas vindas, no passado dia 25 de junho, organizado pela paróquia do Juncal, onde esteve também presente o bispo de Leiria-Fátima, D. José Ornelas. Em conversa com O Portomosense, o padre António Cardoso diz ainda não estar totalmente recuperado, no entanto conta que está a fazer sessões de fisioterapia e que o processo de recuperação está a correr bem.

Durante o tempo em que esteve ausente, o pároco diz ter recebido muitas visitas e telefonemas dos paroquianos, o que, de certa forma, reflete a «proximidade e o carinho da população» para consigo, adianta. Para além destes gestos solidários, António Cardoso recebeu ainda um cheque oferecido em conjunto pelos paroquianos, que se uniram para mostrar a sua sensibilidade para com aquele que está ao serviço da comunidade, mas também por toda a situação. Para o padre esta atitude da população significou «uma entrega pelo pastor e uma manifestação de generosidade».

Estar de volta é «muito bom», revelou o padre destacando a primeira Eucaristia que fez depois do seu regresso como um «momento emotivo», de felicidade por ver as pessoas reunidas e por estar novamente pronto para exercer as suas funções. A chegada do padre mereceu ainda um almoço convívio de boas vindas, no qual foi aplaudido à chegada, conta. O ambiente era de festa e as pessoas mostravam-se felizes por ter o padre por perto, novamente, considera António Cardoso. Embora os serviços pastorais tivessem continuado a decorrer, não existia a presença constante do padre e isso, acredita António Cardoso, é importante para a população.

O vigário geral, padre Jorge Guarda, substituiu António Cardoso nas duas paróquias, Juncal e Pedreiras, enquanto este esteve em recuperação, o que acabou por lhe dar algum «alento», realça. O pároco está satisfeito com o trabalho desenvolvido por Jorge Guarda durante os meses que esteve fora e realça que as pessoas também demonstraram essa satisfação. «Senti que as paróquias estavam entregues e a caminhar», considera.

Recorde-se que o padre António Cardoso sofreu, no passado dia 10 de abril, um acidente que envolveu o seu veículo, que ficou totalmente destruído, e outro veículo ligeiro de passageiros, no Itinerário Complementar 2, junto à Parapedra, no concelho de Rio Maior. A colisão frontal entre os dois veículos deu-se quando um carro que circulava em contra mão colidiu com o veículo do padre que circulava no sentido inverso. Em consequência deste aparato, o padre fez uma luxação posterior e, por isso, está agora a realizar sessões de fisioterapia ao braço e ao ombro direito. «Não é bom», mas «olhando para todo o aparato, podia ter sido muito pior», ressalva António Cardoso.

O carro com o qual seguia não resistiu e foi «perda total», conta o pároco, acrescentando que teve de adquirir outro veículo, o que poderá também ter sido uma das razões que terá levado à oferta monetária por parte dos paroquianos. Contudo e embora o dinheiro seja importante e ajude, António Cardoso realça a proximidade das pessoas e acredita que pode contar com elas. Diz ainda sentir-se muito agradecido e sensibilizado por todos os gestos da comunidade numa altura em que estava mais vulnerável.

Revisão | Catarina Correia Martins