Desde esta terça-feira e durante os próximos 15 dias, ao abrigo do novo Estado de Emergência, o país irá estar estar pintado de quatro cores. Consoante o seu nível de gravidade da pandemia e tendo em conta o registo de novos casos por 100 mil habitantes, os concelhos podem estar em risco moderado (branco), elevado (amarelo), muito elevado (laranja) e extremamente elevado (vermelho).

À semelhança de dezenas de concelhos que passaram a ter que seguir regras mais apertadas, também o concelho de Ourém, que integra o grupo considerado de risco “muito elevado”, foi obrigado a uma mudança de comportamentos com repercussões naquele que é o programa do Santuário de Fátima. A proibição de circulação entre concelhos e o recolher obrigatório são as duas novas regras que impossibilitam a presença de peregrinos na sessão de abertura do novo ano litúrgico e pastoral, que está prevista acontecer no sábado, a partir das 17 horas, e que por isso, irá decorrer em formato online e «será feita apenas através dos meios de comunicação digitais do santuário em www.fatima.pt». Além das alterações neste evento, também no mesmo dia, os voluntários do santuário não vão poder fazer o seu compromisso anual, dado que a missa das 18h30, na Basílica da Santíssima Trindade, foi cancelada.

Nos fins de semana de 28 e 29 de novembro e 5 e 6 dezembro, assim como nos feriados de 1 e 8 de dezembro, «do programa oficial, o santuário apenas manterá as celebrações das missas de manhã», às 7h30, 9 e 11 horas, todas na Basílica da Santíssima Trindade, refere a instituição no seu site. «Mantém-se a oração do terço, na Capelinha, com transmissão pelos meios de comunicação social e digital, às 18h30 e 21h30, mas sem a participação de peregrinos», acrescenta. O santuário frisa ainda que a missa das 11 horas contará «sempre com transmissão em direto» através dos meios de comunicação social e digital.

Khrystyna Ostafiychuk | foto