Luís Vieira Cruz

Pedreiras, uma freguesia quase centenária

11 Abr 2024

Em 1924 nasciam, oficialmente, a paróquia e a freguesia de Pedreiras. A primeira outorgada no dia 5 de agosto e a segunda no dia 19 de dezembro. Feitas as contas, paróquia e freguesia estão a escassos meses de soprar as 100 velas, e é precisamente esse o motivo que nos leva a dedicar o suplemento da 1020.ª edição impressa aos 100 anos de Pedreiras.

Foi nesta freguesia que nasceu, no ido ano de 1986, a Rádio Pedreiras – hoje Rádio Dom Fuas, da cooperativa Cincup, o mesmo do seu “irmão” mais velho O Portomosense. E foi também nesta freguesia que muitos outros projetos, dos mais variados domínios e setores de atividade, foram surgindo, dignificando a terra e ajudando-a a cimentar-se como um autêntico viveiro de empreendedorismo e associativismo.

Cientes de que em 100 anos muita história se contou e que nos próximos 100 anos muita história haverá para contar, fomos ter com as gentes da terra. No nosso novo número encontrará reunidas algumas das principais datas, momentos ou iniciativas mais marcantes do último século escritas pela “pena” do filho da terra Armindo Vieira, membro da comissão organizadora das festividades do centenário, jornalista, dono de um riquíssimo acervo sobre a história local e que durante largos anos esteve profissionalmente ligado a este quinzenário, para o qual nunca parou de colaborar.

Em termos autárquicos há também muito para escrever, portanto sentámo-nos por várias vezes à mesa com o atual presidente de junta, Pedro Pragosa. Com ele, fizemos um “regresso ao passado” explorando façanhas dos anteriores executivos, analisámos o presente de uma freguesia ativa e com um grande preponderância socioeconómica e ainda o questionámos acerca do futuro da mesma, processo que foi repetido, do lado religioso, com o pároco António Cardoso, também ele membro da comissão organizadora e principal responsável pelos festejos do século da paróquia que dirige.

E se o tempo urge quando falamos em dias de aniversário, ainda mais escasseia quando recordamos que também este mês se comemoram os 50 anos da Revolução dos Cravos. Um facto curioso é que a freguesia e a paróquia de Pedreiras viveram metade da sua vida em Ditadura e a outra metade em Democracia, pelo que trazemos à versão impressa o cunho de Paulo Cordeiro (mais conhecido na localidade por Paulo Matias ou Paulo da Venda), que aos 14 anos viveu in loco aqueles tempos de mudança.

E como falar de Liberdade é falar de associativismo, não poderíamos deixar de fora as forças vivas que desde sempre tiveram sede na freguesia. São 10, no total, e «atuam em setores tão nobres como, por exemplo, a Educação, a Cultura, o Desporto ou o Social», como a nós foi salientado pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós e também vereador da Cultura, do Desporto, do Turismo e do Ambiente, Eduardo Amaral.

Também o tecido empresarial merece um grande destaque nesta edição. Neste caso, por nos ser técnica, mas principalmente humanamente impossível chegar a todos os negócios que dão cartas tanto aqui como lá fora, selecionámos apenas algumas empresas: uma do histórico setor da Pedra, duas outras do também histórico setor da Cerâmica e do barro, uma de um setor cada vez mais emergente e associado às Pedreiras, o dos Moldes, e um dos restaurantes com mais nome na região. Além do mais, fomos ter com José Alves Santos, célebre “último oleiro” que comanda a Olaria Barro Vermelho, na localidade de Tremoceira.

Por fim, sabendo nós que tão importante como olhar para o passado é apreciar o presente e sonhar com o futuro, decidimos encerrar o nosso suplemento com um dos serviços que mais se destaca na freguesia, o da Saúde, com a Unidade de Saúde Familiar Novos Horizontes, e ainda a uma obra que visa melhorar a qualidade de vida de toda a população e que vai representar a chegada da rede do saneamento básico.

Como nota de encerramento deste editorial, a Direção d’O Portomosense aproveita a oportunidade para agradecer a todos aqueles que ao longo das últimas semanas deram o seu contributo para que este suplemento dignificasse as gentes e a história de uma freguesia e de uma paróquia quase centenárias.

Muitos parabéns, Pedreiras.