O concelho de Porto de Mós comemora o 45.º aniversário da Revolução de Abril, vulgarmente conhecida por Revolução dos Cravos, em que no dia 24 de abril de 1974 se devolveu aos portugueses a liberdade e a democracia. Trata-se de uma ação promovida pela Assembleia Municipal de Porto de Mós (AM), com o apoio da Câmara Municipal.

Assim, desde ontem e até ao próximo dia 31 de maio, estão patentes ao público no Cineteatro de Porto de Mós, duas exposições em memória de José Augusto da Silva Marques, o primeiro presidente eleito da Câmara Municipal de Porto de Mós, denominadas O Nascimento de uma democracia, em cartazes do Arquivo EPHEMERA, e A Palavra é “Corte-se”, composta de documentos de e sobre a censura. Também, a partir de hoje e até ao dia 31 de maio, está patente no antigo Café Milá, a exposição Quotidianos da Revolução: O 25 de abril no concelho de Porto de Mós, composta de documento, objetos e testemunhos da revolução.

Ainda no dia de ontem, houve dois espetáculos itinerantes de multimédia, denominados Ruas de Abril, pelas ruas das vilas de Mira de Aire e do Juncal. À noite, no cineteatro de Porto de Mós, teve lugar uma conversa com Pacheco Pereira, subordinada ao tema 25 de abril e a importância da memória.

Ao início da noite de hoje desenvolve-se, pelas ruas da vila de Porto de Mós, o espetáculo itinerante multimédia Ruas de Abril, pelo Artelier – Teatro de Rua. Pelas 23 horas, na praça da República, tem lugar o espetáculo de circo multimédia e teatro de meios aéreos, com interpretação de Artelier – Teatro de Rua, seguido de lançamento de 45 murteiros no Castelo.

Amanhã dia 25, pelas 10 horas, tem lugar o VII Harley Davidson Freedmon Day, no Parque Almirante Vitor Trigueiros Crespo, sendo que uma hora depois será lançada, do Castelo, uma alvorada.

Ao meio dia realiza-se a cerimónia do hastear da Bandeira Nacional, na praça da República, com um momento musical pela Banda Recreativa Portomosense, e a presença do Regimento de Artilharia nº 4, de Leiria, Corporações dos Bombeiros do concelho e GNR, seguida de arruada pelas ruas da vila, pela Banda Recreativa Portomosense.

Ao início da tarde, no Cineteatro de Porto de Mós, realiza-se uma sessão solene, com intervenções da presidente da Assembleia Municipal, líderes de bancada, presidente da Câmara Municipal, finalizando com uma palestra, subordinada ao tema Reinventar o Serviço Nacional de Saúde, proferida pelo Professor Doutor Manuel Antunes.

Pelas 16h30, também no Cineteatro de Porto de Mós, haverá um espetáculo de teatro e música denominado Café Milá, pelo Grupo Rituais dell Arte.

Ao final da tarde o Grupo Cafinvenções, apresenta no Centro de Interpretação das Serras de Aire e Candeeiros de Porto de Mós, o espetáculo infantil de marionetas O Tesouro, de Manuel António Pina.

Porto de Mós tem história

Para a presidente da AM, Clarisse Louro, cabe assinalar «esta data histórica, com tudo o que representa para cada um, mas, mais importante que o que representa para todos nós», é o que representa para «o coletivo de uma nação velha de muitos séculos então resgatada da opressão e do obscurantismo».

Além disso, a comemoração serve também para «celebrar a liberdade e a democracia, desígnios máximos do 25 de Abril» refere a autarca, adiantando que serve ainda para «celebrar um país que, mesmo em dificuldades, não foi, nem é, mais o mesmo».

Porto de Mós tem História e tem histórias do 25 de Abril, pois «ainda há um ano, nas comemorações do 25 de Abril, foi “ressuscitado” o Café Milá para “museu” de exposição de muitas dessas memórias históricas», sendo que «nas deste ano, muitas delas serão evocadas numa peça de teatro incluída na programação», refere a autarca.