Aquilo que era uma convicção mais ou menos generalizada entre os responsáveis políticos e autárquicos, foi ontem confirmada com a revelação por parte do Instituto Nacional de Estatística, dos resultados preliminares dos Censos 2021: Porto de Mós perdeu nos últimos 10 anos, mais de 1000 residentes (1131), o que equivale a 4,6% da sua população.

Assim, de acordo com os números agora tornados públicos, Porto de Mós conta atualmente com 23 211 pessoas e há 9296 agregados familiares a residir no concelho.

E se a quebra em termos de população é evidente a nível concelhio, mais se torna se analisarmos os dados disponíveis por freguesia e nesse capítulo há três que se destacam pela negativa, mas as outras, à exceção da Calvaria de Cima não estão muito melhor, e mesmo ali os valores não impressionam mas são os únicos positivos a esse nível.

Nos últimos 10 anos, Serro Ventoso, Alqueidão da Serra e São Bento foram as freguesias que mais gente perdeu. Em Serro Ventoso essa quebra foi de 12,9%, no Alqueidão da Serra, de 11,7% e em São Bento, de 10,2%. Seguem-se na lista, Mira de Aire, com menos 7,8% residentes, a União de Freguesias de Arrimal e Mendiga com 7,6%, Pedreiras com 5,8%. No Juncal a redução do número de residentes foi de 3,6%, na União de Freguesias de Alvados e Alcaria, de 1,2% e em Porto de Mós, de 0,3%. A Calvaria de Cima foi a única que viu a sua população a aumentar e esse aumento foi de 0,7%.

Refira-se a título de curiosidade que existem no concelho, 13131 alojamentos (+0,6%) e 11340 edifícios (+1,1%).