A informação por que muitos aguardavam chegou-nos em fecho de edição: os cemitérios da vila de Porto de Mós, os únicos sob a alçada da Câmara, voltam a abrir os seus portões já este domingo, dia 3 de maio. Por sua vez, o mercado de Porto de Mós reabre a 8 de maio e o de Mira de Aire, a 9. Ambos irão funcionar entre as 7h30 e as 12h30. A reabertura destes quatro equipamentos públicos obriga, contudo, ao cumprimento de exigentes regras sanitárias e de distanciamento social.

No caso dos cemitérios a entrada e permanência naquele espaço fica condicionada a um determinado número de visitantes em simultâneo e todas as pessoas são obrigadas a usar máscara de proteção desde que entram até que saem, devendo, ainda, cumprir as regras de distanciamento social e todos os cuidados de higiene na utilização dos utensilios de uso comum como baldes e vassouras, por exemplo. Assim, à entrada irão estar funcionários da Câmara e cada pessoa só poderá entrar com a sua autorização já que é necessário acautelar que no interior do cemitério não permanece um número de pessoas superior ao recomendado pelas autoridades.

Relativamente aos mercados, pela sua própria natureza, o grau de exigência é bastante maior e obriga tanto quem compra como quem vende a proteger-se. A própria Câmara teve de dar garantias à autoridade de saúde local de que os espaços estariam preparados para o efeito antes da reabertura ao público e que todas as exigências e recomendações da Direção-Geral da Saúde, bem como as que resultaram da vistoria feita ao Mercado Municipal de Porto de Mós, seriam escrupulosamente cumpridas.

Nesta fase, todos os vendedores terão de ficar confinados ao espaço interior do mercado, ou seja, não é permitida qualquer venda no exterior do edifício como acontecia antes do encerramento. Para garantir o distanciamento social, cada vendedor estará separado do outro por dois metros (existindo marcas e sinalética no chão com essa delimitação) e todos serão obrigados ao uso de máscara de proteção e luvas.

A entrada no mercado obedece também a regras bem definidas e exigentes. Haverá, apenas, uma porta de entrada e uma de saída e os clientes para poderem entrar terão de desinfetar as mãos com gel alcoólico que será disponibilizado pelo funcionário do Município que estiver a controlar as entradas. Também aqui é obrigatório o uso de máscara de proteção desde que se entra, até que se sai. As pessoas que estejam na rua à espera para entrar devem guardar uma distância mínima entre si, de um metro. Em nenhuma circunstância o número de clientes no interior do edifício poderá ser superior ao número de vendedores, inclusive existe a regra que determina que só deverá ser permitida a entrada no mercado, em simultâneo, de cerca de quatro pessoas por 100 m2. Além de garantir que todas estas regras são cumpridas, a Câmara tem de intensificar as rotinas de higienização que já existiam antes de ter sido encerrado o mercado, com a desinfeção, pelo menos uma vez por dia, e com recurso a produtos adequados, de todas as zonas, nomeadamente, zonas de atendimento, bancas, casas de banho, corrimãos e puxadores.

Embora no mercado de Mira de Aire os vendedores sejam em número bastante inferior às bancas disponíveis e o número de clientes, por norma, ser também reduzido, as regras a cumprir serão exatamente as mesmas.

Em declarações ao nosso jornal, o presidente da Câmara, Jorge Vala, mostra-se satisfeito por estarem reunidas as condições que vão permitir a reabertura dos quatro equipamentos à utilização por parte do público, explicando que, por motivos obviamente diferentes, era algo ansiado por muita gente.

O autarca lembra que, a bem da saúde pública, tudo funcionará de uma forma bem diferente daquilo a que estávamos habituados e que é natural que num primeiro momento se estranhem as diferenças. No entanto, apela à melhor compreensão e colaboração de todas as pessoas seja aquando da visita aos cemitérios, ou enquanto vendedores ou clientes do mercado municipal. Só com o cumprimento rigoroso das regras e recomendações da Direção-Geral da Saúde é que será possível manter a funcionar os espaços que agora reabrem portas, sublinha, chamando ainda a atenção que em cada espaço estarão funcionários municipais para esclarecer dúvidas e ajudar naquilo que for necessário dentro das regras fixadas.

Nota: Noticia atualizada a 5 de maio de 2020 às 16h16