Porto de Mós faz o pleno na primeira fase das 7 Maravilhas da Cultura Popular ao ver nomeados todos os elementos do património material e imaterial do concelho que submeteu a concurso. O Município apresentou duas candidaturas com um total de 14 patrimónios, divididos pelas sete categorias definidas pela organização, e todos foram nomeados. No distrito, é aquele que tem mais nomeações.

Assim, as Seiras e a Faiança do Juncal, concorrem a um lugar na categoria “Artesanato”; D. Fuas Roupinho e a Lenda da bilha de São Jorge, em “Lendas e Mitos; as Festas de São Pedro e a Via Sacra (de Porto de Mós), em “Festas e Romarias”. Por sua vez, as Concertinas da Barrenta e as Danças de Porto de Mós são candidatas na categoria “Músicas e Danças. O Cantar das Janeiras de Mira de Aire e o Cantar às Almas Santas, entram na categoria “Rituais e Costumes”. A Procissão do Senhor dos Passos e a Procissão dos Ramos são candidatas em “Procissões e Romarias”. Finalmente, para a categoria “Artefactos”, o Município candidatou os Muros em Pedra e as Mantas de Mira de Aire.

Com a entrada no concurso propriamente dito (que corresponde à nomeação), a meta seguinte é estar entre os 21 patrimónios locais mais votados a nível distrital. Há 42 candidatos e a escolha vai ser feita por um painel de especialistas, estando a votação marcada para o dia 7 de junho. Em cada categoria serão escolhidos os três patrimónios mais representativos.

Na terceira fase deste concurso, o painel de especialistas irá fazer nova votação, desta vez para das 21 candidatas distritais escolher apenas sete, independentemente da categoria em que foram inscritas e serão essas as finalistas regionais. Entra-se depois na votação por parte do público. De acordo com o regulamento, as eliminatórias regionais devem acontecer nos meses de julho e agosto, com transmissão televisiva no Canal 1 da RTP, ao longo de 20 programas e a Gala Finalíssima está marcada para 5 de setembro, no entanto, neste momento há um atraso de cerca de um mês relativamente aos prazos definidos (a que não será estranha a situação de pandemia que tudo fez cancelar ou adiar), pelo que ainda não é certo que se consiga recuperar o calendário inicial.

O concurso 7 Maravilhas da Cultura Popular tem como principal objetivo eleger «o património cultural material e imaterial de Portugal, elevando a nossa cultura popular a um patamar de causa pública. O desafio é evidenciar a vivência e reconhecimento desse património e eleger o que de melhor Portugal tem, enfatizando as tradições, associadas a uma determinada região do país».