No próximo dia 8 de setembro o Portomosense vai defrontar o GRAP dos Pousos na 1.ª eliminatória da Taça de Portugal, equipa que já defrontou várias vezes na Divisão de Honra. Pedro Solá, técnico que está no comando da equipa de Porto de Mós desde o meio da época passada, fez a antevisão desta partida. Em declarações a O Portomosense, o treinador considerou que a participação nesta competição nacional é importante «por ser uma montra e uma exposição para o clube», sendo que «quanto mais longe o clube chegar na competição mais exposição vai ter». A «título financeiro» este é também um desafio importante, explica Pedro Solá, uma vez que «cada eliminatória traz uma quantia monetária agradável». Todos os clubes, lembra o técnico, «precisam de estar financeiramente equilibrados para cumprir com as suas obrigações e para poderem ter condições de trabalho».

No que diz respeito ao adversário ditado por sorteio, o GRAP, que terminou na segunda posição do campeonato distrital na época passada, o treinador assume que vai ser um «jogo de grau de dificuldade elevado». Pedro Solá diz ainda que «este vai ser um jogo diferente» dos confrontos passados entre os dois emblemas, porque o GRAP «tem novo treinador e fez três ou quatro aquisições» para o plantel que o treinador considera estar «muito forte». O técnico grante que a AD Portomosense vai «preparar o jogo de forma séria, profissional» e que tudo fará «para passar a eliminatória».

Quanto a potenciais mexidas no plantel até ao jogo da Taça, o treinador diz que o «plantel está praticamente fechado», mas que foram deixadas «abertas uma ou duas vagas» para «alguma oportunidade de mercado» que possa acrescentar «qualidade e competitividade». Pedro Solá sente que tem um «plantel equilibradíssimo» para o «o projeto e modelo de jogo» que quer implementar na equipa desde que «aceitou o convinte» para treinar o clube.

O jogo vai realizar-se no Estádio da Charneca, nos Pousos, com início marcado para as 17 horas.