Os 16 alunos, entre os 3 e os 6 anos, que desde o passado dia 1 de setembro integram a primeira turma de pré-escolar do Instituto Educativo do Juncal (IEJ) receberam na passada segunda-feira, o presidente da Câmara de Porto de Mós, Jorge Vala, e a vereadora da Educação, Telma Cruz, para a abertura oficial, mas «muito simbólica», desta nova valência. Momento esse que contemplou um corte da fita da escola e em que foi mostrada a sala mais inovadora, com «umas casinhas que representam várias profissões, como se fosse uma mini kidzania», conta a O Portomosense, a diretora pedagógica do IEJ, Tânia Galeão. Nessa ação, houve ainda espaço para um momento musical feito pelos alunos em português e inglês, pois a partir do pré-escolar, o ensino já é feito em formato bilingue, uma valência que integra o Projeto Grow, que desde 2016 está presente no IEJ.

Trinta anos depois de ter aberto ao público, o IEJ passa a partir deste ano letivo a ter a opção de ensino pré-escolar, o que para Tânia Galeão é um passo importante para a escola e com consequências importantes para o percurso escolar de cada aluno. «Para mim é muito importante que uma escola consiga completar o ciclo formativo do aluno. É bom quando o projeto educativo do aluno acontece desde que é pequenino até que saia no 12.º ano. Não só pelas relações que estabelece, como pela identidade que vai criando ligada a um projeto», explica.
A abertura do pré-escolar já era «uma vontade» antiga, porém a concretização desse desejo através de uma autorização expressa por parte do Ministério só aconteceu há «apenas um mês e meio». Nessa altura, a diretora pedagógica refere que só tinham cerca de dois alunos e que eram irmãos de outros que já integravam o projeto. Número esse que foi crescendo até chegar aos atuais 16, mas que poderá atingir os 25, o limite máximo de alunos que o IEJ tem autorização para receber. Segundo Tânia Galeão, esse número poderá vir a ser alcançado ainda este ano. «Penso que vai ser uma aposta vencedora», confessa.

Sobre possíveis constrangimentos que a pandemia possa ter provocado neste novo projeto, a diretora pedagógica do IEJ adianta que a única alteração prende-se com as aulas de natação, que devido à situação atual, é a única atividade que está em stand-by neste momento e que será substituída por uma outra. «Enquanto não existam condições que nos permitam ter segurança a 100%, não iremos realizar», garante Tânia Galeão, adiantando que a decisão foi tomada em conjunto com os encarregados de educação.

Durante estes 15 dias, o grupo misto das 16 crianças que inaugurou a primeira turma de pré-escolar do IEJ já tem realizado algumas das dinâmicas que irão estar presentes ao longo do ano no seu programa escolar. «Têm feito o little scientist, têm ido à quinta pedagógica, culinária, aulas de inglês e participado nos mini picassos, que são as expressões plásticas», exemplifica. Tânia Galeão descreve ainda aqueles que têm sido estes primeiros momentos do novo ano letivo: «Tem sido muito engraçado e entusiasmante para todos, até para nós adultos que fazemos parte da escola e nunca tínhamos tido crianças tão pequeninas a fazer parte do projeto. As crianças adaptaram-se muito bem».

Dupla certificação, outra das novidades

No ano letivo de 2020/2021, e segundo dados facultados pela diretora pedagógica, o Instituto Educativo do Juncal vai acolher cerca de 850 alunos: «60 crianças do pré-escolar e 1.º Ciclo, 170 do 2.º Ciclo, 280 estudantes do 3.º Ciclo e cerca de 340 do ensino secundário» e é precisamente nesse nível de escolaridade que existem novidades este ano, com a possibilidade de se passar a ter um ensino dual. «Nós vamos ser uma escola de dupla certificação. Os alunos que ingressam este ano no ensino secundário podem terminar os estudos com o diploma americano também, inscrevendo-se no projeto em que temos parceria com uma escola americana», explica Tânia Galeão.