A Festa de Nossa Senhora do Fetal, no Reguengo do Fetal, concelho da Batalha, também conhecida como Festa dos Caracóis, pela sua procissão noturna, em que as ruas são enfeitadas e iluminadas com cascas de caracóis, vai ser candidata a Património Cultural Imaterial da UNESCO. Estas festas, segundo o presidente da Câmara da Batalha, Raul Castro, fazem parte de «um evento que arrasta todos os anos milhares de pessoas», o que motivou a vontade de realizar esta candidatura. O processo de classificação, envolve a Paróquia e a Junta de Freguesia de Reguengo do Fetal, a Câmara da Batalha e o Museu da Comunidade Concelhia.

Raul Castro salientou que «só vai a candidatura à UNESCO aquilo que já é previamente classificado como património nacional» e que já se está a trabalhar nesse sentido, mas ainda há «muito trabalho a fazer». Está a ser desenvolvida uma «estratégia em acordo com a freguesia e movimento associativo do Reguengo do Fetal, para que realmente a chamada Procissão dos Caracóis possa vir a merecer essa classificação». Na opinião de Raul Castro «as coisas estão bem encaminhadas», mas é preciso «ir atrás de certezas».

Foi lançada uma campanha com o mote Vamos ajudar a classificar a Procissão dos Caracóis como Património Cultural Imaterial com o objetivo de reunir contributos de toda a comunidade e avançar com o processo de classificação. Neste âmbito irá realizar-se em dezembro, uma exposição fotográfica alusiva às procissões, na Galeria do Posto de Turismo da Batalha. A organização criou um e-mail, [email protected], para quem quiser contribuir com fotografias, vídeos, artigos de jornal, livros, entre outros materiais alusivos à procissão, que possam vir a ser utilizados na exposição.

Ruas enfeitadas com a colaboração da população

Na aldeia de Reguengo do Fetal realizam-se anualmente duas procissões ancestrais, inseridas na Festa da Nossa Senhora do Fetal. A O Portomosense, Raul Castro explicou que a decoração utiliza «a casca de um caracol, com um paviozinho e um pouco de azeite». Trata-se de «um evento de natureza religiosa, que integra uma iniciativa das pessoas da terra», onde é iluminado o caminho por onde passa a «Procissão da Senhora do Fetal com as cascas dos caracóis», recolhidas pela população. Também as «janelas, os beirados e os terrenos» são enfeitados. A primeira procissão realiza-se na noite do último sábado do mês de setembro, quando a imagem de Nossa Senhora parte da Ermida do Fetal para a igreja paroquial. Na noite do sábado seguinte, a imagem faz o percurso inverso e é devolvida ao Santuário.

Com Rita Santos Batista
Revisão | Catarina Correia Martins