Foto: R. F. Luz dos Candeeiros

O Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros, de Arrimal deslocou-se durante seis dias, de 14 a 19 de agosto, até Annecy e Sévrier, na região da Alta Sabóia/Rhone Alpes (França), a convite do grupo Echo de nos Montagnes (Annecy) com quem estabeleceu permuta cultural.

No primeiro dia, após longa jornada de madrugada por avião via Genebra, o grupo de Arrimal, que contou com 35 elementos nesta viagem, foi recebido em festa pelo grupo anfitrião, no complexo escolar e desportivo do município de Sévrier, onde ficou instalado. Houve durante a tarde lugar a visita do centro histórico de Sévrier, Igreja, EcoMuseu e jardins paroquiais bem como o espaço de acesso à famosa praia do Lago de Annecy e todo o conjunto balnear. À noite, houve serão de convívio e confraternização com atividades lúdicas e desportivas entre os dois grupos dando espaço, sobretudo, a muita diversão, música e dança.

O segundo dia, 15 de agosto (feriado religioso também em França) ficou marcado pela Eucaristia votiva a Nossa Senhora, realizada na gruta de devoção a Nossa Senhora de Lourdes em Sévrier. O Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros participou ativamente nesta celebração com três cânticos pré-conciliares, representativos e identitários da religiosidade popular portuguesa, ato muito apreciado pelos celebrantes e demais comunidade. De seguida, houve lugar a um pequeno concerto de apresentação do grupo de Arrimal, nos jardins da artéria principal de Sévrier, onde durante meia hora se apresentaram pela primeira vez os sons característicos da Serra dos Candeeiros e danças próprias e peculiares da zona. A tarde foi dedicada às delícias da praia do Lago de Annecy e demais atividades náuticas disponíveis. O serão ficou reservado para ida à freguesia de St Eustache onde houve lugar a uma atuação alongada com descrição pormenorizada dos trajes que os elementos do Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros envergam.

No terceiro dia, o grupo foi convidado a visitar Annecy, suas artérias principais e zona histórica. À noite, o ponto alto foi a atuação no Porto Náutico de Sévrier com apresentação de danças e trajes em duas partes, intercaladas pela atuação do grupo anfitrião.

Sábado foi dia de subida às montanhas onde houve lugar à visita a uma cooperativa de produtores de queijo e do seu museu vivo de preparação, execução e venda de tão famoso produto. Houve ainda a fantástica oportunidade de subir de teleférico a um ponto superior e usufruir das belíssimas paisagens que a natureza dos Alpes oferece. Ao final do dia, o Rancho Folclórico Luz dos Candeeiros teve a sua principal atuação, nas Festas de Sévrier onde esteve a apresentar várias danças e trajes da Alta Estremadura, fruto do seu trabalho de recolha local, tendo ainda proporcionado momentos de animação e diversão ao ensinar várias das suas danças abrindo assim caminho ao grande baile comunitário que se seguiu.

A manhã de domingo ficou marcada pela animação junto ao EcoMuseu de Sévrier, com mostra de vários e diversificados workshops de ofícios tradicionais portugueses e franceses; e onde a participação do grupo de Arrimal se consubstanciou em mostra e oficina de rendas e bordados, execução de cavaquinho português, mostra de trajes e contentamento com os sons da sua tocata. No mesmo dia, houve jantar de confraternização e despedida entre os dois grupos que terminou com muitas das danças de ambas as comunidades, fortalecendo assim laços de amizade entre todos os participantes.

No último dia, houve ainda tempo para um pequeno lanche de despedida entre todos antes dos abraços e votos de boa viagem para todos esperando agora o momento em o grupo Echo de nos Montagnes de Annecy virá ao Arrimal, em agosto de 2020.

No regresso para o aeroporto de Genebra, o grupo teve ainda a oportunidade de passar o dia pela cidade suíça e visitar edifícios que marcam a história da Europa e do mundo como o museu da Cruz Vermelha ou a sede das Nações Unidas.

Destes seis dias em Annecy fica a memória para os elementos do rancho, uma permuta cultural de superior interesse onde a divulgação das danças e cantares, trajes e usos das comunidades serranas do concelho foram sempre alvo de grande interesse e aplauso demonstrando o grande agrado de todas as centenas de pessoas que sempre assistiram às suas demonstrações.

Texto: Ana Rota Leitão