O espaço a que hoje chamamos recinto das Festas de São Pedro vai ser reorganizado, passando a dar lugar ao Parque das Mós. Em entrevista à Rádio Dom Fuas durante as Festas de São Pedro, o presidente da Câmara, Jorge Vala, disse que aquele «é, de facto, um espaço emblemático» e que o Município pretende «dignificá-lo como entrada de Porto de Mós», fazendo um «elogio à água», num projeto que será desenvolvido «em consonância com a recuperação do rio, em todo o percurso entre a nascente e o limite do concelho com a Batalha». O projeto, que esteve “à vista de todos” numa maquete disponível no stand da Câmara Municipal, colocará onde este ano esteve o palco principal, «um grande lago»; pretende-se também «a transformação do campo de futebol num multiusos» que deverá acolher grande parte dos stands e outras infraestruturas das Festas e que, durante o resto do ano, «em conjugação inclusive com a unidade hoteleira que vai nascer, pode passar a receber congressos de média ou grande dimensão ou até jogos», explicou o presidente. «É fundamental, para nós, manter as tasquinhas, relocalizando-as», acrescentou, ressalvando, no entanto, que «a recuperação deste espaço será feita por fases».

O projeto pretende ainda criar «outra entrada» na vila de Porto de Mós, ligando a rotunda do IC9, junto à Zona Industrial, à rotunda do Intermarché. Integrada numa «estratégia para todo o concelho», a obra pretende dar «outra urbanidade» à entrada da vila sede de concelho e facilitar a circulação: «Isso é possível através de um projeto que pode não ser implementado por este executivo – dificilmente será –, mas estou certo de que, quem vier a seguir, não o vai pôr na gaveta porque é importante demais para ser abandonado. Achamos que quem sai do IC9 e entra na rotunda da futura Área de Localização Empresarial pode passar a vir para Porto de Mós por dois caminhos, o atual e um outro, o “caminho das quintas”, [que virá] até ao recinto das Festas, até ao hotel, até à entrada da chamada ponte nova», explicou. «Este é o projeto que temos e que queremos lançar dentro de pouco tempo, para fazer por fases. Não temos a ambição de fazer tudo de uma vez, mas penso que Porto de Mós (e esta entrada) vai mudar a filosofia daquela que é a urbanidade da nossa terra», concluiu Jorge Vala.

Foto | Bruno Sousa