De norte a sul do país, temos vindo a assistir a uma proliferação de movimentos de cariz solidário. Apesar de, muitos, terem diferentes desígnios há um interesse comum: ajudar no combate ao novo coronavírus. E foi precisamente esse o pensamento que norteou o Grupo FF (Mosteiro do Leitão, Mundo do Peixe e Grelhados do Monge) aquando da criação do movimento “Amor com Amor se Paga” cujo objetivo é levar refeições a hospitais para serem entregues a profissionais de saúde, desde médicos, a enfermeiros e auxiliares. Hoje já são mais de 17 os parceiros, a maioria restaurantes, que se aliaram ao projeto e se prontificaram a ajudar na confeção de refeições.

Depois de se ver obrigado a fechar portas, devido às medidas impostas pelo Estado de Emergência, o Grupo FF não baixou os braços e arregaçou as mangas. «Este movimento surgiu muito naturalmente. Lembrei-me que seria interessante os restaurantes poderem colaborar com a doação de refeições aos profissionais que estão lá confinados e por isso, isolados da própria família e, muitas vezes, têm dificuldade em arranjar alimentação», começa por explicar Zita Freire, uma das responsáveis pelo projeto.

Desde o passado dia 27 de março, altura em que se deu o arranque da iniciativa, já foram entregues 310 pratos principais, 310 sobremesas e cerca de 200 sopas à urgência COVID-19 do Hospital de Santo André, em Leiria e a Unidade de Saúde Familiar Condestável, na Batalha. Os pedidos de outras instituições não tardaram em chegar, no entanto, o apoio está dependente do número de parceiros que decidam aderir ao projeto.

Ajudar, sem esquecer as regras

Diariamente são entregues 60 refeições ao Hospital de Santo André, em Leiria e outras 6 à Unidade de Saúde Familiar Condestável, na Batalha. Cada restaurante confeciona a comida no seu próprio espaço e entrega diretamente às unidades hospitalares em causa. «No caso do Hospital de Santo André, é o enfermeiro coordenador que vem buscar e depois as refeições são distribuídas pelos profissionais que estão na ala da urgência e da cirurgia 1, onde está o internamento de pessoas com COVID-19», afirma.

Apesar de se tratar de uma ação solidária, desengane-se quem pense não têm que cumprir com as regras básicas de higiene. «Há uma data de requisitos que têm que ser cumpridos, nomeadamente, a exigência de toda a comida ter que ir embalada individualmente, com talheres descartáveis», refere. Hoje em dia, o “Amor com Amor se Paga” já conta com o apoio de uma empresa de embalagens que doou caixas para transportar as refeições.

Sobre a gestão do hospital, Zita Freire fala num «imenso rigor e transparência» que se comprova através de um relatório diário feito pela entidade, onde consta as pessoas a quem foram oferecidas as refeições e assim, o movimento tem a certeza que vai mesmo para «as unidades corretas».

A ementa, que conta com sopa, prato principal e sobremesa, vai variando mas há algo que é certo: o leitão ao domingo, o que Zita Freire, considera ser um «miminho». Eunice Meneses é a responsável pela gestão das doações e por isso, recorre a um mapa semanal para que essa articulação entre os parceiros seja feita, tendo por base, a sua disponibilidade e de forma a garantir, pelo menos, as 66 refeições diárias. «A batalha é longa e ainda sem fim à vista e, portanto, temos estado a gerir da melhor forma a dádiva das refeições para ser de uma forma equitativa e que chegue a toda a gente», afirma Zita Freire.

Dadas as várias solicitações, o movimento faz o apelo para que todos os restaurantes com serviço de take-away na zona de Leiria e até a sociedade civil das aldeias em redor participem e abracem esta causa. Para aderir basta entrar em contacto para o seguinte email [email protected], ao cuidado de Eunice Meneses. «Nós não estamos a pedir nada de mais. É só mesmo uma refeição a quem está a lutar e dar a vida por qualquer pessoa», sublinha Zita Freire. Toda a ajuda é bem-vinda, mesmo que as pessoas queiram participar apenas um dia. No final, uma coisa é certa: «Quando isto tudo passar, iremos com certeza festejar o facto de termos vencido esta batalha», conclui.
Mosteiro do Leitão, Mundo do Peixe, Grelhados do Monge, Pizzaria OLd Jack, Grupo Quinta dos Lagos, Cervejaria Lisbar, Taverna Atlântica, Restaurante Putanesca, Restaurante Escondidinho, Manjar dos Sabores – restaurante Meeting, Cafetaria Princesa Batalha, Restaurante Dom Duarte, Restaurante O Mário, Quinta do Paul e o Papelão Sabichão foram os vários parceiros que, até ao momento, decidiram integrar o projeto.