Estão de regresso às Juntas de Freguesia as reuniões descentralizadas, depois de dois anos de interregno por culpa da pandemia. Esta é uma iniciativa criada pelo anterior executivo, a que agora se pretende dar continuidade. A primeira Junta das 10 a acolher, de novo, estas reuniões foi a de Porto de Mós. «É um gosto imenso retomarmos as reuniões descentralizadas, interrompidas praticamente durante dois anos, algo a que queremos dar continuidade porque, além de nos aproximarmos dos senhores presidentes de Junta que nos recebem, habitualmente os autarcas das outras freguesias também se encontram neste espaço», começou por referir o presidente da Câmara, Jorge Vala. O objetivo destas reuniões que, ao contrário das reuniões ordinárias que se realizam às 9h30, acontecem ao final da tarde, pelas 18 horas, é permitir a partilha: «Queremos ter um espaço de convívio antes da reunião, para podermos visitar a freguesia e eventualmente tirar ilações sobre o que está feito e o que é necessário fazer», frisou o presidente, revelando que este horário e dinâmica foi acordada com todos os presidentes de Junta.

O presidente da Junta de Freguesia de Porto de Mós, Manuel Barroso, agradeceu a presença de todos e disse «ser uma honra» receber todos os presentes na sede da Junta, «antiga casa de Dom Fuas Roupinho». Não conseguindo ficar indiferente ao que se passa no mundo, o autarca deixou ainda uma mensagem de esperança de que «a situação que atravessamos melhore».

Foto | Jéssica Moás de Sá