O jovem piloto portomosense Rodrigo Barros sagrou-se campeão nacional de motocross 65. A prova decorreu no dia 18 de outubro no Crossódromo Internacional do Casarão, em Águeda. Rodrigo Barros, natural da Corredoura, disse a O Portomosense que se sentiu «muito feliz» por ter conseguido a vitória «depois de muito esforço e dedicação». Com apenas 11 anos, Rodrigo diz que esta vitória foi o realizar «de um pequeno sonho». Numa prova sem público, devido à pandemia da COVID-19, mas transmitida em direto no Youtube, Rodrigo Barros diz que «sabia que as pessoas estavam a ver e a apoiar» e, por isso, sentiu-as «bem presentes, dentro do coração».

O pai do agora campeão nacional, Valdemar Barros, disse ao nosso jornal que esta vitória significa, «acima de tudo, uma grande conquista, porque o Rodrigo, embora ande de mota há cerca de cinco anos, nunca foi um piloto que tenha nascido com o dom, teve que trabalhar essa vontade» e é desse trabalho que «têm vindo os resultados».

Valdemar Barros explica que, durante o tempo de confinamento, respeitaram todas as regras e Rodrigo «não treinava de mota», apenas fazia «os treinos físicos em casa, dentro da segurança possível». Por isso, «quando foi altura de poder [voltar a] treinar, e já haver pistas abertas», o jovem piloto «agarrou-se com unhas e dentes e treinou mais de mota do que antes», lembra o pai, que acrescenta que «neste desporto, conta muito o tempo de horas em cima da mota, é mesmo muito importante».

Os objetivos a curto prazo estão ainda indefinidos por culpa da pandemia, porém Rodrigo sabe que aquilo que quer é «evoluir, evoluir, evoluir, até ser campeão mais vezes», e afirma que «uma pessoa nunca pode desistir», mesmo quando o arranque corre mal, como lhe aconteceu nesta prova: «Temos que pensar sempre pela positiva, se pensarmos negativo, nunca conseguimos evoluir», afirma.