David Salgueiro integra a lista de candidatos do Partido Socialista (PS) às eleições legislativas marcadas para 6 de outubro, lista que é encabeçada por Raul Castro, atual presidente da Câmara Municipal de Leiria. O deputado portomosense, líder da bancada do PS na Assembleia Municipal e deputado municipal na Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria, surge em 11.º da lista, um motivo de «enorme honra, entusiasmo e responsabilidade», disse a O Portomosense David Salgueiro.

O socialista explica que o convite chegou por parte da Comissão Política Distrital do partido em Leiria e ao aceitar, David Salgueiro tem como principal «desígnio contribuir para a vitória do PS nas próximas eleições legislativas», com uma reeleição de António Costa como primeiro-ministro que tem vindo, na opinião do candidato, a desenvolver «um excelente trabalho». Por outro lado, o candidato tem como meta «dar a conhecer os problemas e necessidades prementes da região» e em «particular de Porto de Mós» aos deputados que representarem o distrito.

Em relação ao cabeça de lista, Raul Castro, o portomosense afirma que as «expectativas são as melhores» por ser uma pessoa «com provas dadas». David Salgueiro acredita que o ainda presidente da Câmara de Leiria é a «pessoa indicada» para «dar continuidade ao desenvolvimento» do distrito e apontar «todas as fragilidades que vão surgindo» por ser alguém que «conhece muito bem» a região. O deputado frisa ainda que o cabeça de lista é «prático e acessível» e dará «um grande contributo na defesa dos interesses do distrito e consequentemente do concelho de Porto de Mós».

David Salgueiro aproveitou ainda para falar do percurso como líder da bancada do PS na Assembleia Municipal, onde considera ter uma posição «crítica mas responsável e construtiva» face ao «trabalho do executivo». O socialista diz que tem sido «revelada uma falta de estratégia e prioridades erradas» e que combater isso tem sido a sua «luta». O candidato às legislativas diz ainda que o PS está «num caminho de reestruturação» no concelho e que o objetivo é «abrir o partido à comunidade em geral» com a criação de uma «plataforma de pessoas e ideias».