Os trabalhos de saneamento básico e de escoamento de águas pluviais, na zona da Várzea, à entrada da vila de Porto de Mós, foram iniciados recentemente, segundo informação do presidente da Câmara Municipal de Porto de Mós, Jorge Vala.

«Trata-se de uma obra com algum significado, pois tem a recolha das águas pluviais que vêm da Corredoura e que não tinham um processo de drenagem que as levasse até ao rio», explica o autarca, adiantando que «há também uma zona da Várzea que não tem saneamento básico».

O edil explica que se encontram nesta situação, os prédios da descida do Manjoulo, do lado direito, «uns prédios antigos que não têm saneamento» e, acontecendo o mesmo com o estabelecimento de restauração existente no Parque Almirante Vítor Trigueiros Crespo.

De acordo com as declarações de Jorge Vala a O Portomosense, decidiu-se fazer esta empreitada, «toda ela permitindo que o tratamento de resíduos urbanos, com o saneamento básico e acautelando também a questão das águas pluviais» que, nalguns locais entra diretamente para a rede de saneamento, sendo que noutros sítios não há e, portanto o Município decidiu fazer «as coisas em condições».

Para esta obra, cujo valor orçamentado é superior a 200 mil euros, «totalmente suportado pela autarquia», como explica Jorge Vala, tem um prazo de execução até ao final do corrente ano.