A delegação de Leiria da Cruz Vermelha (CVPL) tem em curso desde o dia 10 de abril a iniciativa Alimentar com Amor, com o objetivo de fazer chegar «refeições caseiras a famílias com alguma dificuldade em consequência da COVID-19», explica a O Portomosense Adélia Miragaia, presidente da comissão administrativa da Cruz Vermelha Portuguesa – Leiria. As «consequências diretas nos rendimentos e poder de compra das famílias portuguesas» foram o motivo que levou a CVPL a agir. «Cedo percebemos que famílias em condição de trabalho precário, afetadas por dispensas ou lay-off e mesmo dependentes dos seus próprios negócios familiares que pararam, poderiam enfrentar dificuldades financeiras imediatas, limitando o acesso a necessidades básicas como a alimentação», refere a presidente.

A CVPL decidiu então pôr “mãos à obra” e «mover todos os recursos possíveis»: «Os voluntários foram chamados a colaborar nas rotas de entrega, associámo-nos à plataforma auxiliar.pt para termos acesso a mais voluntários que nos apoiam na confeção da alimentação; contactámos potenciais parceiros para fornecerem alimentos para serem confecionados e todos foram muito recetivos», adianta, acrescentando que contam ainda com a «solidariedade de empresas da região que cederam viaturas para o transporte das refeições». Esta «nova resposta social» foi divulgada e os pedidos de ajuda têm-se somado diariamente.

Adélia Miragaia dá conta de que se têm deparado «com dificuldades extremas». «Algumas famílias trabalhadoras, perderam o rendimento por completo, ou porque eram prestadoras de serviços, ou porque foram dispensadas, ou porque os seus negócios fecharam portas e as despesas se mantêm, levando também a uma situação de desespero», revela.

Catarina Correia Martins | texto
Com Iolanda Nunes