Arrancou ontem a Semana da Educação 2022 do concelho de Porto de Mós, desta vez a decorrer na freguesia de Serro Ventoso. Embora o tempo não estivesse “sorridente”, as crianças e pré-adolescentes que tiveram a oportunidade de sair das suas salas de aula para usufruir das várias atividades práticas e educativas, pareciam estar a divertir-se juntamente com os colegas, as gargalhadas e a euforia instalada mostravam isso mesmo. Este ano as atividades lúdicas e pedagógicas decorrem até ao dia 3 de junho, em três locais da freguesia de Serro Ventoso, nomeadamente no largo do Clube, no campo de futebol da Bezerra e no espaço envolvente à Junta de Freguesia. Durante esta semana os alunos dos 1.º e 2.º ciclos das escolas do concelho podem desfrutar das inúmeras atividades proporcionadas por diversas entidades que a convite do Município estão a dinamizar momentos de animação, mas ao mesmo tempo de conhecimento.

Bancas promovem a educação de forma lúdica

O Portomosense falou com algumas das associações convidadas para perceber que atividades estavam a dinamizar junto dos mais novos. No campo de futebol da Bezerra, uma das bancas ali presentes, da Unidade de Cuidados da comunidade Dom Fuas Roupinho do Centro de Saúde de Porto de Mós, está precisamente «a promover os hábitos de vida saudável», através de jogos de frutas, explica um dos membros desta unidade de saúde, Marta Silva. A aluna de enfermagem, que está em estágio nesta unidade, Inês Matos, adiantou ainda que o que está ali em causa é essencialmente «educar as crianças para a saúde», através da promoção de hábitos alimentares mais saudáveis.

Promover hábitos mais saudáveis, «incutindo o prazer da atividade física às crianças», também é uma preocupação da Associação Desportiva Portomosense (ADP), segundo referiu o novo coordenador do clube, José Ferrão, que adianta que esta é a primeira vez que a associação está na Semana da Educação, no entanto acredita que é fundamental demonstrar a importância da prática da atividade física e do espírito de equipa que lhe é inerente, divulgando, em simultâneo, a marca do clube, atraindo ainda os mais pequenos para a modalidade do futebol. «Sair da teoria para a prática é crucial para estes miúdos», garante José Ferrão, que considera que cada vez mais as crianças passam muito tempo dentro de uma sala e pouco tempo a realizar atividade física e, por isso, afirma que o objetivo da ADP na Semana da Educação «é demonstrar a importância de o fazer».

No campo de futebol da Bezerra entre as bancas ali presentes, está o Agrupamento de Escuteiros de Porto de Mós. Estivemos à conversa com António Paiva, mais conhecido por chefe Lays, dirigente do Agrupamento, que nos disse estar ali para «transmitir as atividades dos escuteiros e aquilo que se faz em prol delas». Um jogo de memória e livros didáticos e de informação sobre o escutismo e o seu fundador, são as atividades propostas pelo Agrupamento, que participa todos os anos na Semana da Educação. O chefe Lays considera ainda que estas atividades «ajudam os mais novos a libertar-se», a obter novos conhecimentos e também a conviver uns com os outros.

Da associação Vertigem, o presidente da direção Rui Cordeiro admite estar ali para divulgar o programa Erasmus e alguns trabalhos da associação na área do ambiente, com atividades para professores e alunos sobre aves selvagens.

Convidada para participar no evento, a Cercilei – Cooperativa de Ensino e Reabilitação de Crianças Inadaptadas esteve no largo do Clube com uma banca cheia de cores, fotografias e o tão conhecido «pirilampo mágico», aliás, todas as atividades proporcionadas pela associação giram em torno deste boneco, explica a terapeuta ocupacional da Cercilei, Raquel Pereira, que adiantou ainda que os jogos da banca se baseiam no pirilampo e nas fotos que foram tiradas nos pontos altos de Serro Ventoso. O objetivo é as crianças associarem às imagens, que estão incompletas, as peças perdidas. Raquel Pereira explica que as crianças adoram este tipo de atividades por serem dinâmicas. «Estar na Semana da Educação é mais uma vez mostrar que estamos aqui, ajudarmos e também desenvolvermos as competências dos nossos clientes, da capacidade deles para conseguir dinamizar também esta atividade tão boa», refere a terapeuta ocupacional.

No espaço envolvente à Junta de Freguesia está um stand da Águas do Centro Litoral. O Portomosense falou com um dos membros responsáveis pela comunicação, Miguel Ferreira, que referiu a importância de dar a conhecer a «missão da empresa naquilo que são as tarefas do quotidiano, sensibilizando a comunidade utilizadora para as boas práticas no que respeita à gestão eficiente do ciclo urbano da água». Às crianças é explicado «como funciona o ciclo urbano da água, o processo de receção de água nas suas torneiras e a origem deste recurso, através de uma maquete 3D, que acaba por ter um maior impacto nas crianças, que vivenciam de perto aquilo que é o trabalho da Águas do Centro Litoral», considera Miguel Ferreira. Desta forma, «as crianças ficam mais conscienciosas para estas temáticas» e é, para a empresa, «gratificante» perceber que «estas abordagens em termos de conhecimento já são trabalhadas ao nível do ensino regular, que é o público alvo da Semana da Educação», conclui Miguel Ferreira.

Fotos | Rita Santos Batista
Revisão | Catarina Correia Martins