Tomás Mendes, jovem portomosense, extremo dos sub-14 do Sporting Clube de Portugal (SCP), assinou recentemente contrato de formação com o clube que o acolhe desde 2017.

Em declarações ao nosso jornal, Tomás confessa-se «grato e feliz por assinar este contrato» mas também muito orgulhoso do seu trabalho. «Vou continuar a dar o máximo todos os dias pela camisola que visto desde 2017», promete, reconhecendo que «o sacrifício é grande» dadas as frequentes viagens que tem de fazer entre Porto de Mós e a Academia do Sporting, em Alcochete, mas mostra-se convicto de que irá «trazer frutos no futuro». «Sempre acreditei que o sonho era possível, uma paixão de criança», reforça.

Relativamente ao seu futuro como futebolista, Tomás Mendes, apesar de bastante jovem, já sabe bem o que quer: «O foco é lutar todos os dias para obter os melhores resultados individualmente e no coletivo, como equipa. Levar para a frente a minha conquista na equipa A e agarrar a titularidade é o objetivo mais próximo porque o campeonato nacional está à porta. Depois, ter a oportunidade de ser chamado à Seleção Sub-15, seria para mim uma honra representar Portugal. No futuro, chegar à equipa principal sénior do SCP e jogar em Alvalade».

E como é treinar num espaço que acolhe também as grandes vedetas do Sporting? «O Sporting é uma família e Alcochete atualmente é a minha segunda casa. Sempre fui bem recebido e acarinhado por todos. Ter a oportunidade de privar com os melhores é um enorme privilégio» responde Tomás, que olhando para o plantel às ordens de Ruben Amorim vê em Pedro Gonçalves uma referência.

O jovem avançado de Porto de Mós chegou ao Sporting vindo da União de Leiria mas os primeiros toques na bola foram dados na Associação Desportiva Portomosense, com, apenas, quatro anos de idade, tendo sido inscrito nos Petizes na época desportiva de 2012/2013.