Teve início no passado dia 28 de maio, no Espaço Jovem, em Porto de Mós, o curso de Português Língua de Acolhimento promovido pelo Município em articulação com o Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) com vista a uma melhor integração das famílias ucranianas que encontraram refúgio no concelho.

De acordo com a vereadora da Ação Social, Telma Cruz, «o curso está a ser ministrado por uma professora de Português, que é acompanhada por uma tradutora, para que a comunidade ucraniana se sinta mais acolhida e consiga ultrapassar de alguma forma aquela barreira tão grande que existe, que é a língua».

Fazendo o ponto de situação, a autarca referiu, na última reunião pública do executivo camarário, que o Município apresentou uma candidatura conjunta com o IEFP no sentido de poder vir a acolher e apoiar, nos seus serviços, alguns ucranianos. Ainda antes da candidatura aprovada «já há duas senhoras a trabalhar em escolas do concelho e há a possibilidade de outras poderem vir a ser integradas», disse.

Em termos profissionais, quase todos os refugiados ucranianos adultos estão integrados e os que ainda não estão deverão sê-lo muito em breve, anunciou. O acompanhamento em termos de cuidados de saúde e ao nível da vacinação tem também sido feito, contando a autarquia e o pessoal médico e de enfermagem com o apoio de algumas voluntárias ucranianas que asseguram a tradução.