Um caminho feito de muitos caminhos. É esta, no fundo, a via que Jorge Vala, o candidato à Câmara de Porto de Mós pelo PSD, disse, na sessão de apresentação da sua candidatura, ter trilhado desde que tomou posse e por onde promete continuar caso venha a ser eleito para um segundo mandato.

«Um caminho onde a cultura se cruza com o turismo, a economia com o meio ambiente. Onde a ação social e a mobilidade continuam a ser uma preocupação. Onde as contas certas são fator de investimento sustentado e este de crescimento económico. Um caminho onde o planeamento das ações, as prioridades mas, também a reabilitação urbana, são sempre um objetivo», sublinhou acrescentando que é também «um caminho onde a saúde e o bem estar da nossa população serão sempre uma prioridade. Onde a educação e o desporto estão sempre a par. Um caminho onde as pessoas contam».

E porque cada caminhada tem um início e uma motivação, o candidato explicou que a sua começou muito tempo antes de chegar à Câmara, há precisamente 29 anos quando se casou iniciando «um percurso de vida comum, estruturado e onde a família é o pilar fundamental». No entanto, os valores que diz ter levado para o seu percurso autárquico, como «a humildade, a honestidade, o trabalho, a solidariedade e o respeito pela família», foram-lhe incutidos pelos seus pais: «Foi o que me ensinaram, foi o que retive sempre para padrão de vida e foi também o que eu e a minha mulher transmitimos aos nossos três filhos», afirmou.

«Ao longo dos anos o percurso profissional evolui sempre em coerência com estes princípios, com muito trabalho, muito empenho e a determinação de fazer mais e aprender a ser melhor. E foi assim com este espírito que abracei um projeto [a presidência da Câmara], esta nova missão», reforçou.

Chegado ao final dos quatro anos de mandato, a decisão de se recandidatar, justifica, «voltou a ter a sua base na família mas preponderante foi, sem dúvida, o que nos moveu e continua a mover e a motivar: o concelho de Porto de Mós». «O nosso compromisso com o concelho de Porto de Mós é efetivamente o que nos motiva e apesar de no início de 2020 termos sido tolhidos por esta terrível pandemia, com consequências ainda imprevisíveis, não alterámos a estratégia que foi definida há quatro anos. Fomos, sim, obrigados a tomar novas decisões, a definir novos rumos, novos investimentos e a pôr em ação um plano de resposta ao risco, ao medo, à dor da perda e ao sofrimentos e fizemo-lo em conjunto com as juntas de freguesia. Em parte de 2020 esta foi a nossa grande obra: o bem estar e a tranquilidade dos nossos munícipes» frisou depois de enumerar todas as ações levadas a cabo na fase mais aguda da pandemia.

A seguir, Jorge Vala evocou o que foi feito, desde a «redução da carga fiscal» à criação de «apoios à família», para se conseguir atingir o propósito de «colocar Porto de Mós, inverter a tendência de aumento de envelhecimento da nossa população, tentar o regresso de jovens talentos e recém-licenciados, elaborar novos projetos e promover a participação de todos reforçando a coesão social e territorial».

Para o candidato do PSD, Porto de Mós «é um dos concelhos mais atrativos da região» mas «ainda tem muito para crescer sob o ponto de vista da inversão da tendência para o envelhecimento, através da captação dos jovens». «Vamos trazê-los, já os estamos a trazer porque o futuro do concelho já está a acontecer», sublinhou convicto de que projetos como o Fablab, a incubadora de empresas, o ensino profissional tecnológico, assim como o coworking a instalar numa antiga fábrica em Mira de Aire, e as residências artísticas sediadas na Casa dos Calados, no Juncal, fazem, de facto a diferença na tentativa de captar e fixar jovens no concelho.

Numa sessão em que o candidato passou em revista e ao pormenor toda a atividade desenvolvida por si e pela sua equipa à frente dos destinos da Câmara nos últimos quatro anos, houve espaço para os projetos atualmente em curso e outros ainda prometidos para o atual mandato. Já daquilo que se propõe fazer de novo, pouco adiantou em termos concretos, sendo a criação de uma rede de ciclovias, talvez, a única novidade. Assim, além da já prometida ciclovia entre Alvados e Alcaria, Jorge Vala anunciou a intenção de avançar com outros “troços”, nomeadamente, Porto de Mós/ Fonte dos Marcos, Porto de Mós/Zona Industrial (ALE), Eiras da Lagoa/Alqueidão da Serra e São Jorge/Zona Industrial (ALE).

Outra das promessas, embora integrada num projeto que estará a ser desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal, é o reforço da rede de transportes públicos, neste caso com a entrada ao serviço de um segundo autocarro Vamós que, para o candidato à Câmara pelo PSD, «seguramente contribuirá para a aproximação dos nossos munícipes a qualquer um dos locais do concelho reforçando a coesão social e a coesão territorial».

Jorge Vala promete, assim, «um caminho onde todas as pessoas sem exceção serão a parte do todo para afirmar Porto de Mós».

Um centro de investigação de excelência para Porto de Mós

Porto de Mós poderá vir a acolher um centro de investigação de excelência. A notícia chegou pelas mãos do médico estomatologista e investigador portomosense, David Ângelo, num vídeo apresentado na cerimónia de lançamento da candidatura de Jorge Vala. De acordo com o jovem médico, Jorge Vala contactou-o e expressou o desejo de «desenvolver a componente científica no concelho». David Ângelo gostou do que ouviu e do interesse manifestado e depois dessa conversa reuniram várias vezes e daqui terá nascido uma candidatura para desenvolver um projeto que o investigador considera «excelente», um centro de investigação de excelência.

Fruto desses contactos, David Ângelo disse não ter dúvidas de que «Jorge Vala é uma pessoa que rapidamente passa das palavras às ações quando acredita nas pessoas e neste caso está genuinamente preocupado em trazer jovens talentos para o concelho e que vão permitir certamente uma dinâmica socioeconómica de grande impacto a nível local porque serão pessoas com boas remunerações, boa capacidade para cativar ainda mais talentos». Por outro lado, vão estimular «uma economia circular muito interessante e podem trazer uma outra dinâmica para Porto de Mós», referiu.
«Mostrou-se uma pessoa séria, honesta, genuinamente preocupada em desenvolver o nosso concelho, mas também visionária e que tem uma ideia bastante clara do que pode ser feito nos próximos anos para dinamizar Porto de Mós», acrescentou, mostrando-se convicto de que «Jorge Vala é uma aposta segura para liderar o concelho nos próximos anos».

Na mesma cerimónia, Benvida Januário, a mandatária da campanha, destacou «a honestidade, competência e perseverança com que [Jorge Vala] conduziu o primeiro mandato» e numa alusão à pandemia disse que «no momento mais difícil de que há memória, foi o homem que esteve sempre na linha da frente. Teve a coragem, a determinação e o pragmatismo que eram necessários frente a um inimigo desconhecido», concluiu.

Lista de candidatos:

Câmara

Jorge Vala
Eduardo Amaral
Telma Cruz
Marco Lopes
Ana Sofia Santo
Artur Correia
Sílvia Venda

Assembleia Municipal

Clarisse Louro

Juntas de Freguesias

Calvaria de Cima – Luís Silva
Mira de Aire – Alcides Oliveira
Juncal – Vítor Raimundo
Pedreiras – Pedro Pragosa
Porto de Mós – Manuel Barroso
São Bento – Tiago Rei
Serro Ventoso – Carlos Cordeiro
União de Alvados e Alcaria – Sandra Martins
União de Freguesias de Arrimal e Mendiga – Francisco Baptista