Foi a 21 de novembro de 2018 que Lara Fidalgo fez a sua primeira publicação naquela que é hoje a página Lara e Diogo – Memory Makers. A jovem fotógrafa, natural do Chão Pardo, arrancou em 2018 com um projeto próprio, que inicialmente se chamava Lara Fidalgo – Photographer, e que tinha como objetivo mostrar o seu trabalho e a sua paixão pela fotografia.

Desde então, a página acumula já centenas de publicações. Desde casamentos, batizados, festas de aniversário, sessões de casal e de grávida, sessões temáticas com crianças, pré e pós-casamento, a fotógrafa perdeu já a conta ao número de trabalhos realizados durante este ano. A página tem crescido “a olhos vistos”, contando já com 4 624 likes e 4 662 seguidores. A par do “passa-palavra”, Lara Fidalgo acredita que o marketing digital é o seu maior aliado nesta aventura: «É uma ferramenta. Quem não gerir redes sociais, principalmente facebook e instagram, pode esquecer, ninguém hoje em dia vai conhecer».

Gosto estimulado por viagem

O gosto de Lara Fidalgo, com 23 anos, pela fotografia «vem de pequenina», no entanto a jovem considera que começou a interessar-se mais, em 2016, quando viveu em Barcelona e ganhou «uns trocos»: «Cheguei a Portugal e disse à minha mãe que queria comprar uma máquina fotográfica», conta. Foi durante o tempo em que estudava Turismo na Escola Superior de Turismo e Tecnologia do Mar, em Peniche, que começou a fotografar com mais regularidade: «Andava sempre a fotografar as minhas amigas, eu mesma gostava de ser fotografada. Agora gosto mais de fotografar os outros».

«Nunca pensei fazer da fotografia a minha vida», começa por dizer e ainda que hoje não o faça, esta paixão ocupa já «quase 50%» do seu tempo. De segunda a sexta trabalha no escritório de uma unidade hoteleira do concelho, os fins de dia e de semana são ocupados a fotografar e a editar as imagens.

Foi, aliás, no restaurante em que trabalha que descobriu o seu talento: «Comecei a fotografar os eventos para nós internamente. Em setembro do ano passado, surgiu um casal que ia fazer um casamento civil lá no restaurante, queria uma cerimónia simples e queria um fotógrafo só para a cerimónia e para a saída dos convidados. A minha patroa (e amiga) que é uma das minhas motivadoras, disse a esse casal que tinha uma colaboradora com muito jeito. Fiquei um bocadinho espantada, nunca tinha fotografado um casamento. Cobrei um preço simbólico, fiz esse casamento e adorei. E os clientes também adoraram». Estava deitada à terra a semente que agora é árvore com fruto. Dois meses depois, em novembro, muito impulsionada pela patroa e pelo namorado, Lara Fidalgo criou então a sua página de facebook.
Começou por fazer alguns trabalhos gratuitos, sessões de Natal «com umas priminhas», num quarto vago em casa dos pais e até mesmo um batizado sem cobrar nada, uma vez que «precisava de material» para mostrar o seu trabalho. A partir daí foi «uma chuva de pedidos».

A falta do “automático”

Comprou uma máquina mais profissional, «foi um investimento brutal» e diz ter rezado «50 vezes para a conseguir pagar». Quando a recebeu em casa, durante «três ou quatro dias» não lhe mexeu: «Olhava e era tudo manual, não havia nada automático, se eu não percebesse de fotografia, não me safava». Se até aqui, a curiosidade e os tutoriais na internet tinham sido suficientes, neste momento, Lara Fidalgo sentiu necessidade de «fazer formação na parte de fotografia e imagem». «E depois fui sempre aprendendo. Diz-se que a escola da vida é sempre a melhor e a verdade é essa, praticar, fotografar de noite, de dia, é um bocadinho por aí…», acredita.

Para a jovem fotógrafa, «o tratamento é a parte mais trabalhosa», uma vez que «além do bom gosto» é preciso estar «adequado às modernidades de hoje em dia». Além disso, «editar é sempre o mais complicado por causa da falta de tempo». Todos os dias, «das 18 às 23 horas, tenho que estar agarrada ao computador a editar, para que os clientes saiam satisfeitos, porque no fim, o que interessa é que o cliente goste, que volte, que fale de mim nas redes sociais e à família», afirma.

Por outro lado, o ato de fotografar é a parte de que mais gosta em todo o processo, dizendo mesmo que é como «se estivesse de folga». Explica que «trabalhar com o namorado ajuda» e que gosta «mesmo» daquilo que faz. Para Lara Fidalgo, é «muito importante saber “clicar”. O que sai da câmara tem que sair perfeito, porque se não, na edição, não se consegue safar quase nada».

Quem é o Diogo?

Se leu o artigo com atenção, certamente já se terá questionado sobre o nome da página, Lara e Diogo – Memory Makers. Já conhecemos a Lara, mas quem é, afinal, o Diogo? Diogo Santos, natural do concelho de Alcobaça, é o namorado de Lara Fidalgo e, desde o começo, faz parte do projeto: «Sempre foi comigo [aos eventos], ajudou-me em tudo, é incansável», afirma a namorada, orgulhosa, acrescentando que o “converteu” ao vídeo. Atualmente, podem oferecer um serviço completo de fotografia e vídeo para todos os eventos para que são contratados. Lara e Diogo formam, desde o início, uma dupla, agora consolidada por fazerem tarefas que se complementam no “pacote” que oferecem aos clientes, por isso, «fazia sentido [a página] ter o nome dele».