A União dos Agricultores do Distrito de Leiria (UADL) defende o alargamento do prazo limite – que termina no próximo dia 1 de agosto – para a conclusão da formação exigida aos condutores de tratores que, a partir dessa data, queiram conduzir e operar este tipo de veículos agrícolas. Esta informação foi partilhada por António Ferraria, em representação da UADL, no encontro de agricultores, que se realizou em Serro Ventoso, no passado dia 20 de março, onde assegurou que a associação irá «interferir junto da Direção Regional de Agricultura» para pedir que seja dado «mais tempo» às pessoas para concluírem esta formação específica. «Segundo alguém me disse, quando chegar a agosto só 60% dos agricultores portugueses têm as condições para obter a carta de tratores», justificou.

Recorde-se que a partir de 1 de agosto os condutores de tratores que pretendam conduzir veículos agrícolas, tanto na via pública, como em propriedade privada, devem fazer-se acompanhar por um documento que «comprove a realização, com aproveitamento, da ação de formação Conduzir e Operar com o Trator em Segurança (COTS) ou da equivalente Unidade de Formação de Curta Duração (UFCD)». Esta medida surgiu com o objetivo principal de contrariar a tendência crescente da sinistralidade relacionada com as atividades agrícolas.

Segundo o Despacho n.º 3232/2017, publicado em Diário da República, estas formações específicas, que decorreram ao longo dos últimos dois anos, dirigem-se «aos titulares das cartas de condução válidas da categoria B para a obtenção da habilitação para a condução de veículos agrícolas do tipo II e pelos titulares das cartas de condução válidas das categorias C e D para a obtenção da habilitação para a condução de veículos agrícolas do tipo III».

Inicialmente o prazo máximo previsto para a conclusão desta formação específica era 1 de fevereiro de 2021, mas o Governo acabou por estender o prazo com a justificação de que a pandemia impediu que muitas formações se realizassem atempadamente.

Com Rita Santos Batista