Rua da Escola, Mato Velho, Serro Ventoso. Esta será a nova morada da sede da União dos Agricultores do Distrito de Leiria (UADL), que está já em processo de mudanças para o edifício da antiga escola primária da localidade, onde já estão sediadas outras associações. O presidente da UADL, José Alberto Machado, em conversa com O Portomosense, conta que sempre foram «muito apoiados» pelo presidente da Junta de Serro Ventoso, Carlos Cordeiro, e que esse foi o «principal motivo» para se mudarem para o concelho de Porto de Mós. José Alberto Machado acrescenta que os apoios dados pelas câmaras municipais são «inexistentes» e que também esse foi um fator que os levou a sair de Leiria, optando antes por uma freguesia onde as ajudas e os incentivos aos agricultores se fazem sentir. Serro Ventoso foi a opção, por ser a freguesia do concelho que «mais apoia» este setor, sublinha o presidente da UADL.

«Mudamos para cá logo que tenhamos as infraestruturas prontas», informou o dirigente associativo, que considera que estes processos demoram tempo, no entanto ressalva que já está «tudo em andamento» e que as alterações no edifício (pinturas, o fecho e organização do espaço) «já estão ser tratadas, com a ajuda do presidente de Junta». José Alberto Machado refere que o novo espaço terá «uma parte de escritório, outra de reuniões e será ainda destinado a algumas arrumações».

UADL propõe a criação de uma feira dos agricultores

A UADL é uma associação que pretende «incentivar as camadas mais jovens» a seguir pelo setor agrícola e da pastorícia, contrariando a desertificação. Para isso, José Alberto Machado refere que, na prática, a «associação apoia e incentiva os jovens a meterem-se neste caminho», promovendo cursos dentro destas áreas. A feira do agricultor é também uma das propostas da UADL, no sentido de ajudar os jovens e todos os agricultores a conseguir «escoar o seu produto». A ideia já foi lançada, contudo o responsável avança que ainda falta ultrapassar «muita burocracia que existe», mas que o objetivo é «andar para a frente com a proposta». José Alberto Machado garante que não vão desistir de fazer a feira que «incentiva, de alguma forma, os agricultores a continuarem com as suas produções» e que esta deve acontecer mensalmente, na freguesia de Serro Ventoso.

O presidente da associação afirma que é preciso apoiar e estar ao lado dos agricultores, incentivando ainda os mais jovens a começar a trabalhar na e com a terra. José Alberto Machado lamenta que sejam poucos os que estão interessados na agricultura. A UADL, por exemplo, conta apenas com «quatro ou cinco jovens» e são precisos muitos mais «para andar para a frente com o setor agrícola que está aos poucos a morrer», considera.

A subida dos preços de matérias-primas necessárias à prática agrícola é uma das grandes dificuldades que os agricultores têm vindo a reclamar junto do Governo, avança João Alberto Machado, e por isso, os apoios mais pedidos são essencialmente sobre «o gasóleo, os produtos fitofarmacêuticos, rações, adubos» e tudo aquilo que tem vindo a «encarecer demais» e que faz com que os agricultores pensem duas vezes em continuar a trabalhar neste setor, acredita.

A UADL conta atualmente com mais de 300 associados e o objetivo, diz o presidente, é conseguir trazer mais gente para a associação, continuando, assim, a «promover e a lutar a favor da agricultura».

Carlos Cordeiro apoia os agricultores e incentiva os mais jovens

Defensor desta luta é também o presidente de Junta, Carlos Cordeiro, que diz estar ao lado dos agricultores, por acreditar na importância deste setor: «Somos das únicas freguesias que apoia a agricultura e, por isso, somos merecedores de ter aqui a sede da União dos Agricultores do Distrito de Leiria (UADL)», considera. O autarca afirma que esta associação representa mais um ponto com vida em Serro Ventoso e, por isso, acredita que «quantas mais associações se instalarem na freguesia melhor».

As alterações feitas num dos espaços da antiga escola primária de Mato Velho, onde será instalada a nova sede da associação, prendem-se essencialmente com a pintura do espaço e com a instalação de portas, uma vez que, neste momento, o espaço é aberto. A obra terá um custo de aproximadamente cinco mil euros, que serão suportados pela Junta de Freguesia. Pretende-se que o espaço seja inaugurado em setembro, avançou.

Carlos Cordeiro reforça que os agricultores necessitam de ser «apoiados para não desistirem da profissão» e que «os mais jovens precisam de ser aliciados para seguirem pelo caminho da agricultura e da pastorícia», reforça. «Se um jovem souber que é apoiado no setor e que, ao final do mês, consegue tirar 1 500 ou 2 000 euros, já pensa duas vezes», diz o presidente de Junta, que acredita que, através dos apoios e dos incentivos, é possível fixar mais pessoas na agricultura, favorecendo a sua prática.

A feira do agricultor, que representa mais uma ajuda para o setor, proposta pela UADL, tem o apoio, mais uma vez, de Carlos Cordeiro, que considerou esta «uma excelente ideia», uma vez que não existe nenhuma no concelho.

Fotos | Rita Santos Batista
Revisão | Catarina Correia Martins