O Sars CoV 2 é sem dúvida o vírus que mais marcou as nossas vidas nas últimas décadas, pois não houve outro com igual impacto na vivência do dia-a-dia, na mortalidade de população saudável e com comorbilidades e na economia a nível mundial.

Muitas pessoas morreram devido a esta infeção estimando-se, segundo estudo da Universidade de John Hopkins dos Estados Unidos da América, que no mundo tenham morrido até agora cerca de 5 886 000 de pessoas, sendo que 25% destas morreram nos países em que, por motivos vários, a vacinação está com cobertura vacinal bem abaixo da média, como Estados Unidos, Brasil, Índia, Rússia e México.

Em Portugal, segundo dados da Direção-Geral da Saúde (DGS), desde o início da pandemia tivemos cerca de 3 069 000 infetados e 20 500 óbitos por esta doença. Ainda segundo a DGS, temos atualmente cerca de dois milhões de pessoas com o esquema de vacinação completo e destes morreram cinco pessoas por esta infeção, sendo que, quatro tinham mais de 80 anos, e portanto seguramente tinham outros problemas de saúde.

É inquestionável que o paradigma da infeção e da mortalidade por ela causada mudou depois do aparecimento da vacina e do início da sua inoculação na população. A eficácia das diferentes vacinas apesar de um pouco diferente, revelou-se excelente sendo que a das vacinas que atualmente estão a ser aplicadas ronda os 95%.

O aparecimento da nova variante Ómicron levantou dúvidas quanto à eficácia, mas com o decorrer dos meses, a verdade é já inquestionável. Os casos graves de Sars CoV 2 e os casos de morte, têm ocorrido na quase totalidade como já atrás referido, em indivíduos não vacinados.

Assim, apela-se à população que ainda não foi vacinada e aos que ainda não fizeram a terceira dose que, como diz o ditado velho português, “não guardem para amanhã o que podem fazer hoje”! Todos os que estiveram infetados ou fizeram a última dose há 5 meses, podem já fazer a dose de reforço; os que não têm nenhuma dose e/ou estiveram infetados há três meses podem iniciar a vacina de imediato.

Os utentes de qualquer concelho podem recorrer a qualquer dos Centros de Vacinação (CVC).

O horário dos CVC é até fim de fevereiro o seguinte:

CVC de Leiria – todos os dias das 9 às 13 horas e das 14 às 17 horas
CVC da Marinha Grande – terça, quinta, sábado e domingo das 9 às 17 horas
CVC da Batalha – sexta-feira das 9 às 13 horas e das 14 às 17 horas
CVC de Pombal – todos os dias das 9 às 11h30 e das 14 às 16 horas
CVC de Porto de Mós – terça, quarta e sábado das 9 às 13 horas e das 14 às 17 horas

A partir de março poderá haver necessidade de alterar horários e tal será oportunamente divulgado.

NÃO GUARDE PARA AMANHÃ O QUE DEVE FAZER HOJE, PROTEJA-SE A SI E À SUA FAMÍLIA! O VÍRUS NÃO É UM AMIGO!

Texto | Ana Silva, responsável pela vacinação do Agrupamento de Centros de Saúde Pinhal Litoral