Assinalou-se a 18 de abril o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, este ano subordinado ao tema Património e Clima. O Castelo de Porto de Mós esteve aberto ao público e recebeu, nesse dia, 113 visitantes. De acordo com uma das responsáveis pelas visitas, nem todas as pessoas se deslocaram ao monumento tendo em conta o dia em questão, porém «as semanas com feriados» beneficiam o número de visitas.

Para o dia 21 de abril estavam programadas atividades destinadas às escolas, também no Castelo mas que, por falta de inscrições para esse dia, não se realizaram. Porém as escolas do concelho não precisam de dias específicos para fazer atividades no Castelo, basta marcarem e tudo está preparado para as receber. Assim foi na passada sexta-feira.

A chuva não deu tréguas, mas também não esmoreceu o entusiasmo dos alunos da Escola Primária de São Jorge que, à hora marcada, estavam na porta do Castelo à espera de ordem para entrar. Nas mãos dos mais velhos vinham as folhas com as pesquisas previamente feitas sobre o monumento e o seu alcaide. Seguiu-se a visita guiada pelo Castelo, com intervenção das crianças que iam respondendo às questões colocadas com o conhecimento previamente adquirido. No final da visita, tempo para algumas atividades lúdicas que, por força do estado do tempo, foram condicionadas a uma pequena sala de atividades.

Lina Aguiar foi uma das professoras acompanhantes desta visita e revelou a O Portomosense que, aos mais pequenos, «o passado longínquo ainda não diz muito», porém estas ações fazem com que comecem a ficar despertos para essa realidade. Já os mais crescidos, «começam a perceber que houve uma História, uma evolução e que isso faz parte da história do nosso povo, do nosso país e do nosso concelho». Na sua opinião, «é contactando com a realidade» que se fazem «aquisições e se percebe melhor o espaço e o meio» onde nos inserimos, sendo também importante «conhecer um pouco melhor a História do concelho». «Este tipo de experiências, que são vivenciadas no real são fundamentais para a aprendizagem de todos», considera, acrescentando que a visita começou antes de virem, com a preparação e pesquisa sobre a temática e termina depois de chegarem à escola, com uma conversa sobre o assunto para perceber a opinião das crianças.

Foto | Catarina Correia Martins