Início » Votação ao Orçamento Participativo de São Bento começa a 1 de junho

Votação ao Orçamento Participativo de São Bento começa a 1 de junho

29 Maio 2023
Jéssica Silva

Texto

Partilhar

Jéssica Silva

29 Mai, 2023

Requalificação do Coreto de São Bento ou Construção de uma Praça de Lazer em Fontainhas: Qual destas duas será a proposta vencedora da primeira edição do Orçamento Participativo de São Bento (OPSB)? Ainda faltam alguns meses até que seja feita a revelação do projeto que mereceu o maior número de votos e consigamos ter a resposta a esta pergunta, mas a fase de votação está quase aí à porta e, por isso, quisemos explicar-lhe, em pormenor, cada um deles, para que entre 1 de junho e 30 de setembro, se for residente na freguesia de São Bento, possa exercer o seu direito de voto de uma forma mais informada e consciente.

Coreto de São Bento a um passo de ser requalificado

Ricardo Rosa é um dos seis elementos do Conselho Económico da Fábrica da Igreja Paroquial de São Bento, o proponente de uma das duas ideias levadas a concurso ao OPSB que prevê a «requalificação do coreto» de São Bento, um projeto que, explica, há muito fazia parte dos planos do Conselho Económico, a quem pertence o imóvel, mas que nunca tinha sido possível concretizar. O desejo antigo havia de voltar à tona com a notícia de que a Junta de Freguesia de São Bento iria passar a ter um Orçamento Participativo e aí a decisão de candidatarem o projeto foi unânime. «Vimos a publicação da Junta [onde se anunciava a criação de um Orçamento Participativo] e decidimos participar», conta. Caso consigam que o seu projeto seja o vencedor, Ricardo Rosa reconhece que esta será «uma ajuda para a instituição» em vez de estarem «a despender dinheiros próprios».

O Coreto de São Bento é uma estrutura que, segundo Ricardo Rosa, já existe há aproximadamente « 50 ou 60 anos» e que ao longo deste tempo praticamente só foi requalificado «em termos de pintura». Hoje em dia é utilizado sobretudo durante a realização de festas religiosas, o que para o Conselho Económico aumenta a relevância do projeto. «Tentamos melhorar a acessibilidade à parte superior do coreto que, neste momento, não tem nenhum acesso fixo e tentamos embelezar com um painel de azulejo com uma paisagem alusiva à nossa freguesia», explica Ricardo Rosa. De um modo geral, o objetivo do Conselho Económico com este projeto é «melhorar as condições de funcionamento» do coreto para que também os visitantes «possam querer visitar ou ter acessibilidade à parte superior que, neste momento, não têm» e, assim, usufruírem de uma «vista melhorada».

Ricardo Rosa mostra-se confiante com a vitória da candidatura do Conselho Económico da Fábrica da Igreja Paroquial de São Bento, mas realça que tudo dependerá da participação dos fregueses: «Quando concorremos é sempre com a ideia de ganhar. Agora vamos ver as outras propostas, a adesão das pessoas, ver se gostam ou não da ideia», refere. Por agora pensam em formas de divulgar o seu projeto junto da população para que esta fique a conhecer todos os pormenores.

Fontainhas poderá ganhar praça de lazer

Márcio Rafael, o proponente do segundo projeto a concurso ao OPSB, é um dos cerca de 40 moradores de Fontainhas, a localidade à qual se candidatou com um projeto para a construção de uma praça de lazer. O sambentonense conta que assim que soube da iniciativa por parte da Junta de Freguesia de São Bento ficou logo com «algumas ideias para melhoramento» da aldeia, mas antes de lançar qualquer candidatura quis ouvir alguns moradores para tentar perceber qual «seria a melhor forma» de se fazer uma praça para embelezamento do espaço, onde desde há alguns anos estavam «bastantes montes de entulho» encostados à via pública. «Houve até outro morador que teve a iniciativa de pedir ao presidente da Junta de Freguesia para limpar o mesmo entulho», conta.

Depois de ouvir as opiniões e os conselhos de outros moradores da aldeia que lhe deram força e o incentivaram a lançar a proposta, Márcio Rafael arregaçou as mangas. À mão, desenhou uma «maquetezinha» e formalizou a candidatura ao OPSB 2023 que viria a ser aprovada. A proposta prevê «a construção de uma praça de lazer com duas floreiras ao centro e canteiros com árvores autóctones»: «Pensámos nas plantas autóctones porque temos sempre gado a transitar ali na nossa zona e o objetivo também é termos flores que se adaptem ao nosso terreno. A ideia era ter ali uma praça «para os ciclistas que por ali passam poderem fazer uma pequena paragem para descansar e também para as pessoas que passeiam por ali em lazer», explica. A praça será feita com calçada típica da região, uma opção que o proponente justifica com o facto de se manter «toda a vida». «Tudo o que foi pensado para aquela praça é que não tenha custos futuros para a Junta e que se mantenha», refere. O proponente espera ainda que, no futuro, caso haja verba para isso, se possa embelezar o espaço com «uma mesa e uns bancos em pedra».

Para Márcio Rafael, esta proposta assume uma relevância extra porque se fala de uma aldeia onde existe «muito pouca gente» e que «teve pouca intervenção da Junta de Freguesia». Por agora, acredita-se na vitória, mas não se esquece que «qualquer uma das candidaturas poderá vencer».

Foto | Jéssica Silva
Fotos | DR

Assinaturas

Torne-se assinante do jornal da sua terra por apenas: Portugal 19€, Europa 34€, Resto do Mundo 39€

Primeira Página

Publicidade

Este espaço pode ser seu.
Publicidade 300px*600px
Half-Page

Em Destaque