A Assembleia Municipal de Porto de Mós aprovou por unanimidade a proposta de alteração do Plano de Pormenor da Zona Industrial de Mira de Aire.

O presidente da Câmara recordou na altura que «o processo burocrático propriamente dito durou cerca de um ano» mas, finalmente, chegou-se a bom porto e agora com esta aprovação ficam criadas as condições para que aquela zona da freguesia se desenvolva e acolha empresas.

De acordo com o autarca, «a Zona Industrial de Mira de Aire tem 34 lotes dos quais apenas 20 estão concretizado mas só 13 estão a ser utilizados» e a ambição da Câmara «é que fiquem todos completos». Um dos constrangimentos que havia é que «a zona industrial por força do apoio inicial de fundos comunitários, tinha que ser exclusivamente dedicada a unidades industriais, pelo menos durante 10 anos. Como já existe há muito mais que isso, a CCDR considerou ser possível fazer essa alteração e todas as entidades envolvidas a aprovaram». Assim, a partir de agora quem queira comprar lotes naquele espaço «para serviços, comércio ou armazéns», já o pode fazer e, segundo Jorge Vala, «a bom preço porque o que precisamos agora é dinamizar a zona industrial mas também Mira de Aire em geral».

Na discussão deste ponto, David Salgueiro (PS) congratulou-se com esta alteração e disse que «agora é tempo de se começar a pensar numa solução para o Juncal já que a zona industrial local foi toda ocupada só com uma empresa, e interessará encontrar um sítio melhor para a instalação de outras».

Mário Cruz (AJSIM) felicitou a Câmara por este desfecho e frisou que a preocupação com a zona industrial de Mira de Aire foi sempre algo comum a todas as forças partidárias, e que a freguesia bem precisa agora de voltar a ter vida empresarial pujante.