Joana Azevedo

­Rastreio Cancro da Mama – de regresso a Porto de Mós

4 Jul 2022

O cancro da mama é uma das neoplasias mais frequentes na mulher, com uma elevada mortalidade. Em Portugal, com uma população feminina de cinco milhões, foram diagnosticados em 2020, cerca de 7 000 novos casos de cancro da mama e 1 800 mulheres morreram com esta doença.

São conhecidos alguns fatores de risco que aumentam a probabilidade de vir a desenvolver este cancro, muito associado aos estilos de vida, à utilização de terapia hormonal de substituição por um longo período de tempo, antecedentes de familiares diretos com história de cancro da mama e idade avançada.

Com vista à redução da mortalidade e morbilidade por esta doença, é essencial o diagnóstico precoce através de exames de imagem como a mamografia e ecografia mamária – agindo em modo de prevenção, isto é, antes de manifestação de sintomas.

Sendo um problema de saúde pública, pela elevada incidência e mortalidade, foi implementado, pelo Serviço Nacional de Saúde, um programa de rastreio através da realização de mamografia de dois em dois anos. Desta forma, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), em estreita colaboração com os Cuidados de Saúde Primários, desloca-se às várias regiões do país com uma Unidade de Rastreio Móvel onde será realizada a mamografia.

Este rastreio é gratuito e estão elegíveis mulheres entre os 50 e os 69 anos, a idade em que a prevalência é mais elevada, sendo que apenas serão convocadas mulheres mais jovens se já aderiram ao rastreio em anos anteriores.

Este exame será depois analisado por médicos radiologistas que, em caso de dúvida, chamam a mulher a uma consulta clínica de aferição. Nesta consulta, a mulher é encaminhada para uma instituição hospitalar onde realizará um diagnóstico final e, caso a suspeita se confirme, o devido tratamento. Se o exame detetar logo uma lesão altamente sugestiva de cancro são prontamente encaminhados para a consulta no IPO de Coimbra.

Relativamente ao concelho de Porto de Mós, informa-se que a Unidade Móvel de Rastreio estará localizada no Centro de Saúde de Porto de Mós, com início do rastreio no mês de junho, estendendo-se aos meses seguintes. Terá um horário de segunda a sexta-feira, no período da manhã das 9 às 13 horas e no período da tarde das 14 às 17 horas. As mulheres elegíveis serão convocadas por carta e irão receber uma mensagem de texto na véspera a relembrar o dia e hora a que devem comparecer na Unidade Móvel de Rastreio. Os agendamentos serão de 10 em 10 minutos, pelo que não há intervalos para integrar quem não foi convocado nesse dia – devendo apenas comparecer no dia agendado. Caso não possam realizar o rastreio no dia e/ou hora marcada devem responder à mensagem recebida ou então enviar e-mail para informar da indisponibilidade e para remarcar. Pretende-se assim que haja uma elevada adesão a este rastreio tão importante.

Para mais informações, consulte o site da LPCC ou dirija-se ao seu Centro de Saúde e esclareça as dúvidas com a sua equipa de saúde.

Share This